Por Roberto Kuppê (*)

Dá pena do Datena

O apresentador Datena (Band TV), é um grande defensor do governador João Dória (PSDB). Numa “entrevista” ao vivo, ontem durante o programa dele, fez elogios, exaltou a administração tucana e chamou Dória de presidente da República três vezes. Em meio ao caos, às mais de 10 mortes causadas pelas fortes chuvas que caíram sobre São Paulo na madrugada de segunda-feira, Datena prestou um grande desserviço. Na introdução da entrevista (veja vídeo abaixo) ele já livra a cara do governador, como se ele não tivesse nada a ver com isso. Se fosse um governo petista, ele teria massacrado o governador como fez com o ex-prefeito de São Paulo, Fernando Haddad (PT), que foi culpado por cada gota de chuca que caía dos céus. Sobre as férias do prefeito de São Paulo, Covas Neto (PSDB) que em pleno temporal estava na Europa (está retornando somente hoje, terça-feira), Datena minimizou colocando o prefeito em exercício pra falar: “que culpa temos, com menos de três meses no poder?”. Mas, qual a culpa dos governantes de São Paulo? Chove há décadas na região e sempre tem alagamentos. Culpar São Pedro é uma falta de capacidade administrativa. Como se sabe, os alagamentos ocorrem porque não tem como as águas escorrerem. O asfalto e as calçadas impermeabilizam o solo, evitando que as águas escorram. As ruas viram verdadeiros rios, por isso. A solução simples é a construção de piscinões, além de evitar a construção de residências em áreas que devem ser preservadas. O resultado do crescimento desordenado está aí.

Forte chuva deixa 12 mortos na Grande São Paulo.

Datena entrevista João Doria sobre situação crítica após temporal em São Paulo. band.com.br/brasilurgente

Publicado por Brasil Urgente em Segunda-feira, 11 de março de 2019

—————————————————————————————

Bancadas para lamentar

Espero que a carapuça sirva para alguns parlamentares brasileiros. É impressionante o desperdício de dinheiro público com alguns deputados federais e senadores da República. Não servem para nada a não ser destinar emendas paras suas bases eleitorais e faturar em cima disso. Exemplo disso é o ex-deputado federal Nilton Capixaba (PTB-RO), que está preso condenado por receber propina em cima de emendas parlamentares. Para votar projetos do governo só pagando. Como profissionais do sexo, deputados até brincam: “dinheiro na mão, calcinha no chão”. Elas merecem mais respeito, pois tiram as calcinhas para quem lhes paga, porque estão no pleno exercício da profissão. Para aprovar a reforma da Previdência, o  governo Bolsonaro destinou R$ 1 bilhão de reais em emendas parlamentares. Antes, Bolsonaro era contra. E, parece piada, mas não é. Ontem, no Jornal Nacional o deputado federal com nome bíblico Jonathan de Jesus (PRB-RR), foto acima, disse com todas as letras: “Não é toma lá dá cá. É a necessidade que nós temos de entregar obras nos estados. É aquilo que todos os governos fizeram com o parlamento”! É para lamentar ou não é?

Rachid à lá Flávio Bolsonaro

Esse esquema de rachar o salário entre o servidor e o parlamentar é mais antigo que a posição de fazer aquilo no banheiro. Ávidos por dinheiro, parlamentares coagem assessores a devolver parte dos salários, e assim, engordam seus vencimentos. A coluna arrisca que pelo menos 70% dos parlamentares brasileiros agem assim, há muto tempo. Flávio Bolsonaro (PSL-RJ) é apenas um deles.

Lula, o Cristo

Existe um termo que diz “pegar para Cristo” que cabe exatamente ao ex-presidente Lula (PT). Considerado o melhor presidente do Brasil dos últimos tempos, ganhador de vários prêmios mundiais, ele mofa na cadeia. O que ele fez? Ele é o responsável pelas mortes de 242 pessoas da boate Kiss em Santa Maria (RS)? Não! Os responsáveis nem foram presos! Ele é o responsável pelas mortes de 20 pessoas e a destruição do rio Doce em Mariana (MG)? Não! Os responsáveis nem foram presos! Ele é o responsável pelas mortes de mais de 320 pessoas, animais, e um rio inteiro em Brumadinho? Não. Os responsáveis nem foram presos! Então, Lula deve ter cometido um crime mais horrendo, mais terrível do que matar milhares de pessoas. Sim! A ele é atribuído um apartamento triplex em Guarujá (SP) e a reforma de um sítio em Atibaia! Por esses crimes, ele foi condenado a mais de 24 anos, ou seja, à prisão perpétua. Enquanto isso, os atuais governantes estão saqueando os cofres públicos à luz do dia. A última dessa gente perigosa é a apropriação de parte das multas pagas pelos criminosos envolvidos na operação Lava Jato. A dita Lava Jato vaio se tornar uma espécie de ONG, com um capital de R$ 2 bilhões e 500 milhões de reais. Quem vai gerir? Quem o Moro indicar. E durma-se com um barulho desse.

————————————————————————————–

Caso Marielle Franco

Parece que, mais do que nunca, os Bolsonaros estão envolvidos, direta ou indiretamente nas mortes da vereadora Marielle Franco (PSOL-RL) e do motorista dela, Anderson Vieira. Os Bolsonaros são notórios defensores das milícias, tendo membros desta facção criminosa trabalhado no gabinete de Flávio Bolsonaro (PSL), então deputado estadual. Segundo a matéria publicada hoje no O DIA, o policial reformado preso hoje, terça-feira, tinha vida de luxo e morava no mesmo condomínio do Presidente da República. PM e ex-PM são presos por envolvimento na morte de Marielle. Sargento reformado da Polícia Militar Ronnie Lessa teve a prisão preventiva decretada pelo juiz-substituto do 4º Tribunal do Júri. Na manhã desta terça-feira, os investigadores foram à casa de Lessa, no condomínio de Vivendas da Barra, na Avenida Lúcio Costa, 3.100, por coincidência, o mesmo do presidente da República, Jair Bolsonaro (PSL).

 

 

(*) Roberto Kuppê é jornalista e articulista político

Facebook Comments