Atividades de veraneio movimentam economia em Fortaleza do Abunã

0
927

 Depois do trauma vivido por causa da enchente do ano passado, aos poucos a população de Fortaleza do Abunã, distrito localizado cerca de 260 quilômetros do núcleo urbano da capital rondoniense, começa a voltar sua rotina. Um dos locais mais aprazíveis de Porto Velho localizado no eixo da BR 364, volta novamente a ser procurado pelos turistas na temporada de verão, como aconteceu neste ano quando as praias voltaram a ficar lotadas. “Estamos voltando à normalidade. Tivemos um fluxo bom de turistas nesse verão, principalmente nos feriados. Neste final de semana, a nossa expectativa é de que mais de mil turistas visitem o distrito. Na maioria temos acreanos e eles mesmos estão fazendo a propaganda no estado deles porque eles gostam daqui”, disse o administrador do distrito Francisco Nunes de Oliveira.

O administrador lembra que as programações que ocorrem nos finais de semana em Fortaleza do Abunã, ainda não são do tradicional festival de praia que ocorre anualmente nos distritos. São eventos alternativos realizados para que os visitantes tenham sempre um atrativo e retornem. “Infelizmente, não conseguimos ainda retornar com o festival de praia. Mas estamos nos mobilizando para que haja sempre uma programação”, disse. Em setembro, o administrador adiantou que a Energia Sustentável do Brasil (ESBR), concessionária da usina hidrelétrica de Jirau, em parceria com o Corpo de Bombeiros Militar, realizou o projeto “Verão Limpo”.

Foram dois dias de uma extensa programação, que ofereceu à comunidade e turistas, ações de cidadania com palestras educativas, atendimento médico e odontológico, emissão de documentos, serviços de beleza e estética, atividades esportivas e gincanas, na Escola Municipal de Ensino Fundamental Rio Branco. E à noite, apresentações teatrais e shows musicais foram realizados na praça. Para o diretor do Departamento de Assuntos do Interior (DAI), Francisco Alves de Araújo, o Tyer, a programação alternativa é importante para manter a circulação de pessoas no distrito. “É importante porque esse fluxo de pessoas no distrito mantém a movimentação no comércio, nos restaurantes nas pousadas, ou seja, faz a economia local se movimentar com a circulação de dinheiro”, frisou.

Texto Joel Elias | Fotos Arquivo