Prestes a completar 27 anos de idade, Anitta acumulou façanhas musicais em 2019. Desde o convite para cantar ao lado de Madonna até ter alcançado o posto de vídeo mais assistido no mundo no dia do lançamento, com 10 milhões de views nas primeiras 24 horas, com Terremoto feat Kevinho. Por esse e outros motivos, a revista GQ Brasil elegeu a funkeira a Mulher do Ano. “Sempre quis fazer história”, disse a cantora. As informações são da Metrópoles. 

Emocionada, Anitta explicou como chegou ao atual posto: “Dois anos atrás, estava desaminada com essa luta para fazer história e, para isso, ter que remar contra a maré – o que significava não ter lucro imediato. Resolvi escrever em uma folha uma lista do que me tornaria 100% realizada no trabalho. Hoje, olho para esse papel e vejo que cumpri três vezes mais”, afirmou em entrevista à revista GQ Brasil.

“Nunca tive vontade de lacrar para fazer música e estar em primeiro lugar nos rankings. Sempre quis fazer diferente. Gosto de criar controvérsias para fazer as pessoas discutirem, provocar o debate da diversidade de opiniões. Coloquei na cabeça que eu precisaria apresentar o funk ao mundo para fazer os brasileiros darem o devido respeito ao ritmo”, concluiu.

 

Facebook Comments