Acir Gurgacz diz que pelos trabalhadores votou contra a reforma da Previdência

Comissão de Agricultura e Reforma Agrária (CRA) realiza reunião deliberativa com cinco itens. Entre eles, o PLS 252/2011, que cria o Programa de Microdestilarias de Álcool e Biocombustíveis, e o PLS 388/2014, que suprime a participação do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (INCRA) no parcelamento do solo urbano. À bancada, senador Acir Gurgacz (PDT-RO). Foto: Pedro França/Agência Senado

O senador Acir Gurgacz (PDT-RO) votou contra a reforma da Previdência por entender que prejudica direitos dos trabalhadores. Segundo Acir, durante a campanha eleitoral, assumiu compromisso com as categorias organizadas de que não apoiaria qualquer medida contra os direitos trabalhistas já assegurados.

“Votei contra a reforma da Previdência, porque ela é contra o trabalhador e quem ganha menos. Assumi compromissos com sindicatos, que se alguma reforma fosse contra os trabalhadores, eu votaria contra, assim votei com coerência”, afirmou.

A atitude do senador foi elogiada por sindicalistas e trabalhadores. Em evento na Praça das Caixas D´água, em Porto Velho, as instituições apresentaram (na época de campanha) carta de compromisso pela manutenção dos direitos, e Acir assinou o documento, tendo honrado o compromisso com a votação contra a reforma, por entender que afetará o plano de vida de milhares de trabalhadores.

Em primeira votação no Senado, a reforma da Previdência foi aprovada por 52 votos a 20. Na votação dos destaques à proposta de reforma, dois foram rejeitados. Entre esses, o do PDT, que queria alterar a proposta de idade mínima para mulheres que, na PEC, passa a ser de 62 anos. O partido queria manter o critério atual, de 60 anos de idade.

Fonte: Diário da Amazônia

Facebook Comments