Avião militar C-130, da FAB, com cilindros de oxigênio para tratamento de pacientes de covid-19 em Manaus.

Em relação ao impasse registrado no sábado, 27/03, sobre a destinação do oxigênio trazido pela FAB da planta da White Martins em Manaus (AM) para Porto Velho (RO), a empresa informa que aguarda a decisão judicial e as providências do Ministério da Saúde para que não haja desabastecimento de oxigênio às unidades hospitalares atendidas pela White Martins em Rondônia.

Como é de conhecimento público, a White Martins, atendendo a pedido do Ministério da Saúde, tem disponibilizado oxigênio líquido de sua propriedade à distribuidora Oxiporto, com quem a White Martins não possui contrato em vigor, já que a Oxiporto compra o produto de terceiros fabricantes. Ficou acordada a disponibilização semanal de 20 mil metros cúbicos de oxigênio líquido para a Oxiporto, num total de 80 mil metros cúbicos, provenientes da planta da White Martins em Manaus (AM). A logística de entrega deste produto está a cargo do Ministério da Saúde, por meio de aeronaves da FAB, que fazem o trajeto Manaus – Porto Velho.

Esta medida é mais uma demonstração de cooperação e esforço da White Martins para o enfrentamento do cenário de crise na saúde em todo o território nacional. Entretanto, para atender esta solicitação do Ministério da Saúde, a White Martins precisou retirar dois isotanques do transporte fluvial utilizado pela companhia para trazer o oxigênio para Rondônia, o que vem impactando no volume de produto disponibilizado para o atendimento às unidades hospitalares da Secretaria de Saúde do Estado de Rondônia com as quais a White Martins tem contrato vigente. Apenas no mês de março, a White Martins já enviou mais de 306 mil metros cúbicos de oxigênio para o estado de Rondônia.

Como no transcurso da primeira semana em que esta operação foi acordada, um dos voos da FAB não foi realizado em função de uma pane na aeronave e, além disso, a Oxiporto já havia recebido a quantidade de oxigênio líquido (20 mil metros cúbicos) relativa à primeira semana, a companhia reforça que segue aguardando das autoridades uma solução para compensar o déficit provocado no abastecimento fluvial aos seus clientes por meio de transporte aéreo destes isotanques também para a White Martins.

De forma transparente e responsável, a White Martins está mantendo as autoridades de saúde cientes sobre todos os fatos relacionados ao fornecimento de oxigênio medicinal aos seus clientes das redes pública e privada no Estado de Rondônia, para adotarem as medidas que considerem necessárias para mitigar riscos.

White Martins

Facebook Comments