VOOS DA AZUL JÁ SÃO UMA REALIDADE EM JI-PARANÁ. PREFEITO AGRADECE AO GOVERNADOR CONFÚCIO MOURA

azulll

Tudo azul em Ji-Paraná. Desde ontem o aeroporto José Coleto embarca e desembarca passageiros da Azul Linhas Aéreas com destino a Cuiabá/MT e conexões. A retomada das atividades só foi possível porque a pista de pouso e decolagens foi totalmente reconstruída pelo governo do estado por meio Departamento de Estradas e Rodagens [DER]. “Estamos reconquistando nossos voos”, destacou o prefeito Jesualdo Pires [PSB], agradecendo ao governador Confúcio Moura [PMDB] pela restauração da pista do aeródromo.

Em documento oficial encaminhado recentemente ao chefe da Casa Civil, Marco Antônio de Faria, o prefeito Jesualdo Pires anuncia a retomada dos voos e agradece ao governo estadual. “A Azul confirmou a volta de dois voos diários para Ji-Paraná a partir do dia 8 de fevereiro. Graças ao apoio do Governo Confúcio estamos reconquistando nossos voos. Em nome do povo da Região Central, nossos agradecimentos”, diz trecho da correspondência eletrônica.

coleto“A partir de agora os cerca de 500 mil habitantes da região central de Rondônia tem garantido o direito de ir e vir. Devemos isso ao compromisso do governador Confúcio Moura com o estado de Rondônia”, frisou o secretário regional de Governo Romildo Pereira, lembrando outras obras de infraestrutura que o governo também vem executando em Ji-Paraná e região, como o asfaltamento urbano de 50 KM, canalização do igarapé Pintado, asfaltamento do anel viário, construções de habitações populares e escolas, dentre outras.

A PISTA

O diretor do DER, engenheiro Lúcio Mosquini explicou que a pista do aeroporto de Ji-Paraná estava em condições precárias e que o aeródromo seria fechado. “Licitação é um processo demorado e prejudicaria toda a região central de Rondônia. O DER está estruturado, então o governador Confúcio optou pela execução por administração direta resultando na rapidez e economia superior a 50% no custo da obra, se comparado ao preço praticado pelas empreiteiras”, frisou Mosquini. O DER gastou R$ 3 milhões na reconstrução da pista, segundo informações.

Depois de pronta, a pista recebeu o aval do Grupo de Transporte Especial da Presidência da República. “O tenente-coronel Márcio, piloto da Presidência, percorreu os 1800 metros do aeródromo do José Coleto e atestou que a pista tem condições adequadas para receber voo presidencial”, disse o diretor do DER, acrescentando que a própria companhia Azul averiguou as condições do aeródromo antes determinar o restabelecimento dos voos.

Engenheiro responsável pela obra, Humberto Fayal disse que o DER seguiu os padrões exigidos pela Agência Nacional de Aviação Civil [Anac]. “Hoje, a pista tem condições plenas de receber aviões a jato de qualquer porte operado no País, a exemplo das aeronaves que já fazem uso continuado nos maiores aeroportos do Brasil e do mundo a exemplo de Guarulhos e Congonhas em São Paulo e Santos Dumont e Tom Jobim, no Rio de Janeiro.

Facebook Comments