PORTO VELHO- Não era apenas um docente universitário, coordenador do curso de Direito da Faculdade Católica de Porto Velho. Nem apenas um advogado de defesa criminal. Stênio Castiel era também compositor e baterista da banda Maria Melamanda. Banda Maria Melamanda lança EP “Cantigas Antigas” nesta sexta no Novo Boteco | Mais ROO advogado Vinícius Lemos, criador do Festival Casarão (rock), amigo pessoal de Stênio Castiel, descreve o momento no qual recebeu a notícia.

“A notícia que eu não queria receber. A sensação que eu não queria sentir. O texto que eu não queria escrever. Por onde começar? Não sei.
São mais de 20 anos de amizade, de papos e de fases diferentes da vida juntos. Pode ser uma imagem de uma ou mais pessoas, pessoas em pé, pessoas tocando instrumentos musicais, címbalo e área internaDe conhecidos na faculdade e no MIrc, para bem próximos por causa da Maria Melamanda, depois como parceiros de escritório, depois professores colegas em faculdades, fundadores do IDPR e sonhadores por um mundo melhor. Em todas essas etapas da vida, Stenio Castiel era um sonhador e uma pessoa afável, com diversos planos para tudo. Conversas sobre docência, academia, advocacia ou até bate papos descontraídos sobre futebol, doutorado e política, não dava para sair sem uma reflexão de como Stenio é diferenciado, como tocava as pessoas.
Pode ser uma imagem de 5 pessoas, incluindo Vinicius Lemos, pessoas em pé, óculos e área internaOs bates-papos já eram sobre os eventos que organizaríamos no IDPR, como seriam, como a pandemia afetou tudo isso, os caminhos na academia pós tudo isso e mil planos. Agora não terão mais essas conversas ou planos. Ele era tão essencial para abrir a cabeça das pessoas por onde passava, com diversas reflexões de mundo de uma forma única. Tudo com paixão e mostrando que podia ser diferente, ser impactante.
E como impactou a vida de quem teve contato com ele. Familiares, amigos, colegas, alunos, ex-alunos, orientandos e tudo mais. Não havia como passar incólume depois de um grande papo com ele. Ainda não há palavras para descrever tudo isso, o quanto era essencial e como ainda podia mudar a vida das pessoas. Essas daqui são poucas e irrelevantes para tudo isso, foi somente o que consegui passar. Selena Castiel
e Breno Azevedo, estamos com vocês nessa. Ele faz muita falta. Agora tem uma estrela lá em cima que a gente queria que ainda estivesse aqui por muito tempo. Tá difícil demais dar adeus”.

Facebook Comments