Videomonitoramento avança e registrada redução de criminalidade nos locais monitorados em Rondônia

0
336
Profissional atento aos movimentos registrados por meio das câmeras de segurança


Olhares atentos às telas indicam que a atividade é séria. E é, afinal os monitores estão atuando junto à segurança, uma das áreas que mais exigem atenção em todo o país. Esses profissionais são responsáveis por acompanhar os movimentos filmados pelas câmeras de segurança instaladas em espaços públicos de cidades, como Porto Velho. O mais positivo em relação a essa atividade é que o sistema de videomonitoramento instalado em Rondônia já colabora, e muito, com a elucidação crimes de várias naturezas, é o que garante Marink de Miranda, gerente de tecnologia da Secretaria de Segurança, Defesa e Cidadania (Sesdec).

O sistema resulta num trabalho de vigilância minucioso, que conta com o envolvimento de várias equipes que trabalham em três turnos, atentos a qualquer movimento suspeito. Atualmente 222 câmeras são distribuídas em 15 municípios rondonienses, em locais estratégicos, que ajudam a reforçar a segurança e contribuem com o trabalho das polícias Civil, Militar e órgãos da Justiça do Estado.

Central de videomonitoramente de Cacoal: município registra redução de 90% da criminalidade nos locais monitorados

“O trabalho de prevenção costuma ser difícil de metrificar”, explica Marink de Miranda. Ele destaca a redução da criminalidade em áreas que foram instaladas as câmeras. “Em Cacoal, por exemplo, foi registrada redução de 90% de criminalidade nos locais monitorados”, complementa.

Ele afirma que o sistema de videomonitoramento cumpre o caráter preventivo. “Tem a ver com o comportamento humano, que muda quando a pessoa percebe que está sendo filmada. O indivíduo não quer cometer nenhuma ação constrangedora frente às câmeras, muito menos cometer ato ilícito”.

Casos de combate ao tráfico, uso de entorpecentes, prisão de assaltantes, identificação de infração de acidentes de trânsito e até recaptura de foragidos fazem parte dos registros do Centro Integrado de Operações Policiais (Ciop), setor responsável pelo monitoramento das câmeras.

Câmeras no Espaço Alternativo contribuem com a segurança e conservação do bem público

O serviço funciona assim: por meio de tela, os monitores observam os movimentos nas ruas, as atitudes consideradas suspeitas são acompanhadas e quando é preciso são acionadas viaturas da Polícia Militar que estiverem mais próximas para realizar a abordagem dos suspeitos. “Há vários relatos de suspeitos presos após cometerem o ilícito porque os monitores repassam informações sobre o indivíduo: cor da roupa, se está usando boné ou qual o veículo está usando. Pequenos detalhes que ajudam nas ocorrências”, define Marink.

Já os casos de elucidação de crimes e contravenções, o órgão investigador solicita as imagens para o Ciop. As imagens capturadas também podem ser solicitadas pela comunidade para elucidação de crimes ou acidentes de trânsito, desde que sejam solicitadas judicialmente e a área tenha cobertura do sistema de videomonitoramento.

Um exemplo da atuação do videomonitoramento é o Espaço Alternativo de Porto Velho, que possui sete câmeras instaladas, viabilizadas por meio de convênio com o Departamento de Estradas e Rodagens (DER).

Alexsander de Menezes Souza Couto, diretor da Ciop, explica que as câmeras são adquiridas pelo governo do Estado, por meio da Secretaria de Segurança, mas também podem ser via emenda parlamentar, convênios, investimento do Poder Judiciário ou até pela iniciativa privada. “Caso um grupo de empresários tenha interesse em adquirir uma câmera para monitorar determinada região, deve entrar em contato com a Secretaria de Segurança e demonstrar interesse em fazer o investimento”, detalha Alexsander. De acordo com ele, o recurso será enviado para o Fundo de Reaparelhamento da Polícia. “Um exemplo foi o investimento realizado em Jaru, os equipamentos foram adquiridos pelo Judiciário, em parceria com os empresários locais”, afirma.

PLACAS DE VEÍCULOS

As câmeras de monitoramento também estão sendo utilizadas para identificação de placas de veículos para combater roubos e furtos de veículos. O município de Espigão do Oeste possui 21 câmeras instaladas e está sendo usado como exemplo para os serviços que serão implantados em todo o Estado. “No município existem sete entradas/saídas e todas serão monitoradas”, afirma Marink. No estado a ideia é que seja formada uma espécie de cerca virtual, para evitar a saída de veículos roubados ou furtados. “É ordem do governador que se feche o Estado com inteligência e Espigão servirá como referência nesse sentido”, conclui o capitão Marink de Miranda.

Os próximos municípios de Rondônia a receber o sistema de videomonitoramento são Cabixi e Cerejeiras.

Leia mais:

 Equipe do Rondônia Mais segura participa de Seminário sobre segurança em Monte Negro; projeto de videomonitoramento é entregue a comunidade

 Sesdec encerra demonstração de videomonitoramento e outras ações de segurança no Espaço Alternativo

 Serviço de videomonitoramento completa um ano de funcionamento reduzindo em 90% as ocorrências em Cacoal


Fonte
Texto: Mineia Capistrano
Fotos: Frank Néry e Arquivo Secom
Secom – Governo de Rondônia

Facebook Comments