VIDA e Soneto de Fidelidade: os dois poemas mais belos do Brasil, segundo as mulheres

Enquete realizada na página Daiana Huff, no Facebook, perguntou ‘Na sua opinião, qual é o poema mais lindo do Brasil?

Mulheres de todo o Brasil responderam a enquete que contava com os seguintes poemas:

1. VIDA (Augusto Branco)
2. SONETO DE FIDELIDADE (Vinicius de Moraes)
3. VIA LÁCTEA (Olavo Bilac)
4. CANÇÃO DO EXÍLIO (Gonçalves Dias)
5. JOSÉ (Carlos Drummond de Andrade)
6. AMOR (Álvares de Azevedo)
7. TIMIDEZ (Cecília Meireles)
8. VERSOS ÍNTIMOS (Augusto dos Anjos)
9. CANTIGA PARA NÃO MORRER (Ferreira Gullar)
10. A RUA DOS CATAVENTOS (Mário Quintana)

Os poemas indicados na enquete constam em artigos literários especializados como os mais belos ou marcantes da literatura brasileira, e o resultado final apontou um empate técnico entre os poemas de Augusto Branco (Vida) e Vinícius de Moraes (Soneto de Fidelidade).

Leia na íntegra os dois poemas favoritos das mulheres brasileiras:

VIDA

Já perdoei erros quase imperdoáveis,
tentei substituir pessoas insubstituíveis
e esquecer pessoas inesquecíveis.

Já fiz coisas por impulso,
já me decepcionei com pessoas
que eu nunca pensei que iriam me decepcionar,
mas também já decepcionei alguém.

Já abracei pra proteger,
já dei risada quando não podia,
fiz amigos eternos,
e amigos que eu nunca mais vi.

Amei e fui amado,
mas também já fui rejeitado,
fui amado e não amei.

Já gritei e pulei de tanta felicidade,
já vivi de amor e fiz juras eternas,
e quebrei a cara muitas vezes!

Já chorei ouvindo música e vendo fotos,
já liguei só para escutar uma voz,
me apaixonei por um sorriso,
já pensei que fosse morrer de tanta saudade
e tive medo de perder alguém especial (e acabei perdendo).

Mas vivi!
E ainda vivo!
Não passo pela vida.
E você também não deveria passar!

Viva!!

Bom mesmo é ir à luta com determinação,
abraçar a vida com paixão,
perder com classe
e vencer com ousadia,
porque o mundo pertence a quem se atreve
e a vida é muito para ser insignificante.

Augusto Branco

SONETO DE FIDELIDADE

De tudo, ao meu amor serei atento
Antes, e com tal zelo, e sempre, e tanto
Que mesmo em face do maior encanto
Dele se encante mais meu pensamento.

Quero vivê-lo em cada vão momento
E em louvor hei de espalhar meu canto
E rir meu riso e derramar meu pranto
Ao seu pesar ou seu contentamento.

E assim, quando mais tarde me procure
Quem sabe a morte, angústia de quem vive
Quem sabe a solidão, fim de quem ama

Eu possa me dizer do amor (que tive):
Que não seja imortal, posto que é chama
Mas que seja infinito enquanto dure.

Vinícius de Moraes

E você? Concorda com o resultado da enquete?

Confira o resultado voto a voto aqui: https://www.facebook.com/daianahuff.ro/posts/860098437694717

Facebook Comments