A vereadora Michelly Alencar (DEM) cometeu uma gafe durante uma sessão online da Câmara de Cuiabá (MT), na manhã desta quinta-feira (15).

Sem perceber que a imagem de sua transmissão estava ligada, ela deu uma “sarrada” – passinho que ficou famoso no universo do funk.

A colega Maysa Leão (Cidadania) ainda chega a se espantar com a situação. Ao notar que sua câmera estava ligada, Michelly também deixa transparecer seu constrangimento, se abaixa e sai de mansinho de frente da tela do computador.

Por meio de nota, a parlamentar disse exerce seu papel com dedicação e profissionalismo e que fez uma brincadeira com sua assessora.

Íntegra da nota de Michelly Alencar:

“Vocês já devem ter visto por aí um vídeo circulando nas redes sociais em que eu faço uma “dancinha” em frente a câmara, quando estava acontecendo a sessão ordinária. Pois é… deixei a câmera do notebook ligada, fui ao banheiro e na volta brinquei com minha assessora sobre as novidades do Tik Tok. Mas não desrespeitei ninguém. Pelo contrário, exerço meu papel com muita dedicação e profissionalismo. Nunca faltei a uma sessão sequer, tenho produção legislativa, estou nas ruas fazendo fiscalização e defendendo o direito do cidadão cuiabano. E vejam só, me preparo para as sessões, vou para o gabinete, não faço de qualquer lugar ou de qualquer jeito só porque é de forma online. Tenho me esforçado para manter o ambiente de trabalho leve, pois eu e minha equipe trabalhamos com assuntos pesados, vamos para a linha de frente, entramos em hospitais com pacientes de Covid-19, atendemos denúncias. Somos seres humanos e também temos nossos momentos de descontração. É assim que conseguimos lidar. E eu pergunto a vocês: se fosse um homem que tivesse feito isso, teria dado essa repercussão? Eu sinto na pele todos os dias o preconceito por ser mulher, parece que temos que trabalhar o triplo para provar nosso valor. E em situações como essa o fardo fica mais pesado. Ademais, contem comigo sempre aqui na Câmara para trabalhar pelo povo cuiabano, com alegria e disposição.”

A Câmara de Cuiabá disse que não vai comentar sobre o caso.

Veja:

Fonte: G1 e AgoraMT

Facebook Comments