Vacinação contra a Covid em grávidas não será interrompida em Porto Velho, diz Prefeitura

A prefeitura de Porto Velho informou, na manhã desta terça-feira (11), que a vacinação contra a Covid em grávidas não será interrompida. A reiteração foi feita horas depois da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) emitir uma nota recomendando a suspensão imediata da aplicação da vacina AstraZeneca em grávidas.

A reportagem, o município de Porto Velho informou que tem feito uso apenas da Pfizer/BioNtech em grávidas e nunca utilizou a AstraZeneca para esse grupo.

“Desde o início, a indicação do Ministério da Saúde foi apenas o uso da Pfizer/BioNtech”, diz a prefeitura.

A prefeitura também afirma que, na capital rondoniense, nunca houve relatos de eventos adversos envolvendo grávidas vacinadas contra a Covid.

Recomendação da Anvisa

Na noite de segunda-feira, através de uma nota técnica, a Anvisa recomendou que a vacina AstraZeneca não seja usada em grávidas e que a orientação é seguir “o Programa Nacional de Imunização (PNI) a indicação da bula da vacina AstraZeneca e que a orientação é resultado do monitoramento de eventos adversos feito de forma constante sobre as vacinas Covid em uso no país”.

A Anvisa, no entanto, não relatou nenhum evento adverso ocorrido em grávidas no Brasil. O texto diz ainda que “o uso de vacinas em situações não previstas na bula só deve ser feito mediante avaliação individual por um profissional de saúde que considere os riscos e benefícios para a paciente”.

A bula atual da vacina contra Covid da AstraZeneca, porém, não recomenda o uso da vacina sem orientação médica.

Fonte: G1

Facebook Comments