Urgente! Marcos Rogério poderá ocupar o ministério das Minas e Energia

Marcos Rogério teria o apoio do presidente do Senado

BRASILIA- O Centrão mira duas pastas comandadas por ministros estimados pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido) para uma nova reforma ministerial. Após garantir vitória de aliados do governo nas presidências da Câmara e do Senado, o bloco busca abocanhar cada vez mais espaço na Esplanada dos Ministérios.

Há pressões por trocas no Ministério da Agricultura, comandado pela deputada federal licenciada Tereza Cristina (DEM-MS), e no Ministério das Minas e Energia, chefiado pelo almirante de esquadra Bento Albuquerque.

Os dois ministros são bem avaliados pelo presidente, que os elogia publicamente em diversas oportunidades. Eles integram o governo desde o início da gestão Bolsonaro. Enquanto Bento é da cota pessoal do presidente, Tereza foi um nome apresentado pela bancada do agronegócio, quando Bolsonaro ainda pretendia negociar diretamente com as bancadas temáticas.

Para a pasta de Minas e Energia, a ideia é garantir espaço para um senador apoiado pelo ex-presidente da Casa Davi Alcolumbre (DEM-AP) ou pelo atual, Rodrigo Pacheco (DEM-MG).

Entre os nomes cotados para a pasta, estão os senadores Marcos Rogério (DEM-RO) e Eduardo Braga (MDB-AM). O último foi ministro de Minas e Energia no governo Dilma Rousseff (PT). O cargo de Bento Albuquerque já foi cobiçado em outros momentos, dado que o posto era comumente assumido por um político.

No entanto, o desejo do Centrão, é um pouco mais delicado nesse cenário. Segundo interlocutores, Bolsonaro tem grande apreço por Bento Albuquerque no comando da pasta. Fontes ouvidas pelo Metrópoles avaliam que se o ministro não caiu no auge da crise energética no Amapá, em novembro passado, não será agora que ocorrerá uma troca ministerial.

Fonte: Metrópoles

Facebook Comments