A CUT é contra o projeto de Lei (PL-4330/2004)

pl4330O PL-4330 pode representar o fim do emprego com garantias e direitos no Brasil. Nos próximos dias na Câmara dos Deputados estará sendo feito o mais brutal ataque já tentado em toda a história contra os direitos dos trabalhadores, através da aprovação do Projeto de Lei (PL) 4330.

O PL-4330 trata da terceirização ampla e irrestrita, inclusive na atividade principal da empresa, seja ela privada ou pública, e acaba com a responsabilidade solidária, na qual o contratante arca com as dívidas trabalhistas se estas não forem pagas pela terceirizada.

De um só golpe todas as conquistas desde o advento da Consolidação das Leis Trabalhistas (CLT) em 1943 poderão ser fulminadas; tanto as que a CLT garante, quanto as que os sindicatos, a duras penas, conquistaram em décadas.

Leia mais: 

Fiero pede apoio da bancada federal para aprovar PL 4330

Esse PL-4330 representará o fim do emprego como hoje conhecemos. Em poucos anos a grande maioria dos trabalhadores será terceirizada em todos os ambientes de trabalho: indústria, bancos, lojas, supermercados, concessionárias, empresas públicas… aos quais não se aplicarão os acordos e convenções coletivas, regulamentos internos e regimes jurídicos. É O COMEÇO DO FIM!!!

Não se trata de nenhum exagero, pois ao permitir que todas as atividades de uma instituição possa ser terceirizada, o PL-4330 fere de morte todas as conquistas sindicais, já que o trabalhador terceirizado não estará contemplado com esses direitos.

Tão pouco os direitos previstos na CLT estarão garantidos, pois ao acabar com a responsabilidade solidária da contratante com o pagamento de direitos trabalhistas não pagos pela terceirizada, os trabalhadores não terão como receber seus direitos como horas extras não pagas e verbas rescisórias, quando no fim dos contratos a terceirizada estiver falida, coisa que é muito comum.

A realidade atual é que a maioria das empresas terceirizadas não tem qualquer patrimônio para garantir uma execução judicial, sendo apenas escritórios de intermediação de mão de obra. Em Rondônia, por exemplo, é comum vigilantes e trabalhadores terceirizados só conseguirem receber seus direitos acionando os contratantes, públicos ou privados, na Justiça. Como ficará, com a aprovação do PL-4330, a situação dos trabalhadores nessa condição?

Neste cenário, surgirão no mercado de trabalho brasileiro condições análogas às  que existem  na China, onde praticamente não há qualquer garantia ou direitos trabalhistas.

Diante do exposto, as entidades abaixo subscritas FAZEM APELO PÚBLICO AOS DEPUTADOS FEDERAIS de Rondônia para que rejeitem o PL-4330, pois o parlamentar que aprovar esse golpe nos direitos trabalhistas estará traindo os trabalhadores.

ASSINAM: SINTTEL, SINSDET, SINTELPES, SINTAX, SITIBRON, SINDECOM, SINTTRAR, SINFAR, STICCERO, SEEB, SITETUPERON, SINTES, SINDUR, SENGE, SINTESV, SINPRO, STPMOP, SENALBA, SINDSUL, SINTECT, SINTERO, FETAGRO, STTRs e CUT

Facebook Comments