TEMER, PSDB e DEM UNIDOS PARA SALVAR CUNHA, O MAIOR CORRUPTO DO BRASIL

Para salvar a cassação certa do político mais corrupto da história do Brasil, o golpista Michel Temer trabalha junto com o PSDB e o DEM, históricos abafadores de investigações que ponham em risco seus esquemas e notórios aparelhistas dos órgãos de controle e fiscalização.

Leia a matéria abaixo e saiba detalhes da operação para salvar Eduardo Cunha e confira o que o deputado Zé Geraldo (PT-PA), integrante do Conselho de Ética da Câmara que aprovou o relatório pela cassação de Cunha, disse sobre isso.

O painel do jornal Folha de S.Paulo torna público nesta sexta-feira (1º) o que todos já sabiam: O PSDB sempre esteve ao lado do presidente afastado e réu no Supremo Tribunal Federal Eduardo Cunha (PMDB-RJ). “Tudo não passou de um jogo de cena dos tucanos. Eles sempre estiveram unidos ao Cunha no golpe que afastou a presidenta Dilma e agora vão pagar a conta tentando salvar o mandado do golpista que comandou todo esse ataque a democracia, ao PT e aos direitos sociais e trabalhistas”, afirmou o deputado Zé Geraldo (PT-PA).

Na avaliação do deputado paraense, integrante do Conselho de Ética que aprovou o pedido de cassação de Cunha, o novo golpe foi armado no encontro clandestino de Cunha e Temer na noite do último domingo. “Ali foi cobrado a conta do impeachment, com certeza Cunha lembrou aos golpistas que eles só chegaram ao poder – Presidência da República e ministérios – graças as suas mãos”. Zé Geraldo disse que até consegue imaginar o Cunha dizendo: “Eu derrubei a presidenta, agora vocês cumpram a sua parte e me salvem”.

Zé Geraldo enfatizou que a prisão de Eduardo Cunha é uma questão de tempo diante dos processos que ele responde no Supremo Tribunal Federal. “Será uma vergonha nacional para a Câmara esse salvamento do Cunha. Mas cada um que assuma a sua responsabilidade com a democracia”, afirmou. Ele, no entanto, acrescentou que nesta “altura o PSDB, DEM, PPS, parte do PMDB e deputados de outros partidos não tiveram vergonha do golpe, provavelmente também não terão vergonha de defender esse réu”.

No painel da Folha, a colunista destaca que: “Fiel da balança na Comissão de Constituição e Justiça, o PSDB não trabalhará para que seus deputados votem pela cassação de Eduardo Cunha. Apesar do desgaste que a posição implica, o discurso é que o peemedebista prestou um ‘serviço relevante para o País’ ao dar celeridade ao impeachment de Dilma Rousseff e não merece a condenação institucional da sigla. A percepção dos tucanos é que o Planalto caminha na mesma direção: se quisesse se livrar de Cunha, já o teria feito.

PT na Câmara

filme

 

Facebook Comments