O desembargador aposentado Walter Waltenberg pensa numa situação ideal que, dentro do MDB, parece um sonho irrealizável: ele aceita ser o nome do partido, desde que haja consenso em torno do seu nome e não aconteça disputa interna.

Para quem conhece a história do partido, isso seria um quase milagre, caso ocorresse. Na última convenção, em que foram lançados dois candidatos ao Senado (Valdir Raupp e Confúcio Moura), houve até troca de tapas; discursos virulentos, enfim, um grande racha, até que as coisas se acomodaram.

Waltenberg foi convidado pelo partido para ser seu candidato, mas a verdade é que há pelo menos dois outros nomes, ambos apoiados pelo ex governador Confúcio Moura, hoje o nome mais peso pesado do partido: Williames Pimentel e Jorge Braga.

O magistrado, agora aposentado e nome fortíssimo na corrida pela disputa na Capital, avisa que, caso haja disputa, ele sai da corrida e passa a ser apenas o que se chama, tradicionalmente, de “soldado do partido”. Por enquanto, a direção emedebista, agora sob o comando de Lúcio Mosquini, o presidente regional, ainda não se pronunciou a respeito. Aguardemos, pois!

Fonte: Sérgio Pires – Blog Opinião de Primeira

Facebook Comments