Socorro poderá ser a primeira mulher a assumir a presidência do sindicato do Transporte Coletivo

0
477
Socorro poderá ser a primeira mulher a assumir a presidência do sindicato do Transporte Coletivo
Socorro concorre à presidência do sindicato do Transporte Coletivo

Nesta terça-feira (21) aproximadamente 600 filiados ao Sindicato dos Trabalhadores no Transporte Coletivo (SITETUPERON) estarão elegendo a nova diretoria da entidade. Concorrem ao pleito uma enorme quantidade chapas, cinco no total, das quais uma tem como candidata à presidente a trabalhadora Socorro Peres, que encabeça a Chapa 4 “Renovação e Luta” e poderá fazer história se eleita, pois será a primeira mulher na história a dirigir o Sindicato do Transporte Coletivo.

Em que pese a categoria ser relativamente pequena, com cerca de seiscentos associados, houve um elevado número de chapas inscritas, revelando um alto grau de insatisfação com a atual diretoria, que é ligada ao partido do ex-prefeito Mauro Nazif (PSB). A grande maioria dos trabalhadores ficaram revoltados com as mais de 200 demissões provocadas por Mauro Nazif, do mesmo partido de dirigentes do SITETUPERON.

A Chapa 4 denuncia o que considera uma omissão da atual diretoria, que além de não impedir as centenas de demissões, permitiu vários retrocessos implantados pelo Consórcio SIM, atual operador do transporte coletivo da Capital, dentre os quais destacam: congelamento salarial desde 2014, mesmo após o último aumento da tarifa em 2016; implantação de vários intervalos intrajornadas (denominadas de pegadas); e pagamento de valores a menor no vale alimentação para vários grupos de trabalhadores.

As principais propostas da Chapa 4, que tem adotado o lema “trabalhadores do transporte coletivo pedem SOCORRO”, uma alusão à situação desesperadora dos trabalhadores e ao nome da candidata à presidente, são: 1) Lutar pelo fim dos vários intervalos intra-jornada, as “pegadas”; 2) mobilizar a categoria contra o congelamento salarial que dura desde 2014; 3) igualar o vale alimentação para todos os trabalhadores; 4) o atendimento médico do sindicato será prioritariamente para os associados e seus dependentes; 5) implantação de sub-sedes no Interior do Estado; e 6) lutar por melhorias, também, para os trabalhadores administrativos.

Autor: Assessoria.