Ao discursar em evento nacional, prefeito da capital fala de medidas para combater ralos e corrupção
Ao discursar em evento nacional, prefeito da capital fala de medidas para combater ralos e corrupção

A transparência em todos os atos do serviço público é a forma mais eficaz para se evitar e combater atos de corrupção e outros drenos de recursos públicos. A afirmação foi feita pelo prefeito dr Hildon Chaves na manhã desta quinta-feira (6), ao participar da cerimônia de abertura da 22ª reunião técnica do Conselho Nacional de Controle Interno (Conaci) que pela primeira vez está sendo sediada em Porto Velho, no auditório do Palácio Rio Madeira.

Dr Hildon citou sua atuação por mais de 20 anos no Ministério Público como a mais importante contribuição para a formação de suas convicções acerca da eficácia do controle interno no combate ao desperdício, ralos e atos de corrupção.

O prefeito da capital destacou que uma das medidas mais importantes de sua gestão nesse sentido, foi a adesão ao Observatório de Despesas Públicas (ODP), uma unidade permanente da Controladoria-Geral da União (CGU) de monitoramento dos gastos públicos. A ferramenta informa aos gestores sobre indicadores que permitem análises comparativas, subsidiando a tomada de decisões para melhoria da aplicação dos recursos.

Para uma plateia de controladores internos do país todo, dr Hildon fez um discurso firme em defesa de mais transparência. “O Brasil passa por um momento de transformação e quem não entender esse momento será atropelado. A sociedade não suporta mais tanta baderna com o dinheiro público e gastos desnecessários. O grande dreno de recursos públicos é a corrupção, mas existe outro, igualmente tão maléfico quanto, que é a não observância da economicidade”, discursou.

O prefeito citou o caso recente no qual foi interceptada uma licitação em andamento para a compra de 107 veículos, num ato totalmente avesso às necessidades da prefeitura. “Primeiro, não precisamos desses carros. Segundo, não teríamos nem onde guarda-los, teriam que ficar nas ruas. Terceiro, entre os carros listados para a compra, não havia previsão de nenhuma ambulância que é o que mas precisamos. Nos escaninhos, na obscuridade, processos ganham, vida própria. Já a transparência remete à luminosidade, à luz, portanto, quanto maior a transparência, melhor para que a sociedade ajude a controlar os gastos públicos”, observou.

Dr Hildon disse que sua meta é atingir um nível de controle interno tal que possa servir de inspiração a prefeitos de outros municípios. Além da adesão ao Observatório de Despesas Públicas, ele citou a criação das superintendências de Gastos Públicos e a de Licitações, duas ferramentas que ajudarão no controle e transparência. “Temos que estar sempre um passo à frente dos mal intencionados e para isso hoje estamos testemunhando e participando da construção de uma nova história”, concluiu.

Texto e foto comdecom

Facebook Comments