Sindsaude e demais sindicatos reunidos com a comissao de saude

A presidente do Sindicato dos Servidores da Saúde de Rondônia (Sindsaúde), Célia Campos, gravou um vídeo no qual repudia as declarações do secretário estadual de Saúde, Fernando Máximo, que afirmou, em entrevista à imprensa, que a greve anunciada pela categoria seria “eleitoreira”.

Célia Campos disse que no dia 10 de janeiro deste ano foi firmado acordo, na Assembleia Legislativa de Rondônia, para que o Governo Marcos Rocha encaminhasse, no prazo de 180 dias, o projeto de revisão do Plano de Carreira dos Servidores da Saúde.

Ocorre que, segundo a sindicalista, o Governo contratou uma empresa particular para elaborar um estudo que, na verdade, é prejudicial aos servidores, pois defende a extinção de funções e o fim das progressões, entre outras medidas danosas à categoria. O documento elaborado pela empresa custou R$ 800 mil aos cofres públicos e “não serve para nada, a não ser para prejudicar o servidor”, disse a sindicalista.

Nos próximos dias o Sindsaúde vai deliberar sobre a deflagração de greve geral dos servidores do setor em todo o Estado. “Quanto ao movimento ser ou não eleitoreiro, como diz o secretário, posso afirmar que nenhum membro da diretoria do sindicato é candidato a nada, nem a prefeito, nem a vereador, e tampouco apoia este ou aquele candidato. É um movimento legítimo, de insatisfação com a falta do cumprimento de um acordo fechado em janeiro deste ano”, ressaltou Célia Campos.

Fonte: Tudorondonia

Facebook Comments