Senai mobiliza alunos contra o Aedes aegypti

 

Enfermeiro Sid Orleans (ao fundo) profere palestra sobre aedes aegypt para alunos do Senai
Enfermeiro Sid Orleans (ao fundo) profere palestra sobre aedes aegypt para alunos do Senai

 

A unidade Senai Marechal Rondon realiza desde segunda-feira, 7 de março, ciclo de palestras de conscientização de combate ao mosquito Aedes aegypti – transmissor do vírus da zika, da dengue e da chikungunya – ministrado pelo técnico da Agência Estadual de Vigilância em Saúde – Agevisa/RO, Sid Orleans. A iniciativa reforça as ações do Departamento Nacional também entre os alunos dos cursos de aprendizagem industrial e técnicos.

 

O palestrante comentou que a Agevisa está incentivando as visitas casa a casa nos 52 municípios rondonienses. “Nosso objetivo é mostrar o quanto a dengue é grave, assim como a zika e o chikungunya. Somente mediante a conscientização conseguiremos conter o surto. É fundamental que a população não mantenha criadouros de mosquitos em suas residências”, argumentou Orleans.

 

De acordo com ele, as pessoas precisam deixar de cuidar da dengue como se fosse uma gripe comum. “A dengue mata, o chikungunya deixa idosos com muita dificuldade de locomoção e o zika traz a microcefalia aos bebês ainda em gestação, principalmente no primeiro trimestre de gravidez”.

 

A partir da mobilização chamada “A Indústria contra o Mosquito” realizada em todo o país nos dias 4 e 5 deste mês pelo Sesi e Senai, com apoio das Federações, a Direção Regional de Rondônia resolveu ampliar a campanha e fortalecer as ações de conscientização de alunos e professores por meio de ciclo de palestras.

 

A orientadora Educacional da unidade, Franciane de Oliveira falou que doze turmas dos três turnos assistiram às palestras. “A intenção é trabalhar a questão preventiva, não apenas no sentido de transmitir informações superficiais, mas explicar ao aluno como identificar os sintomas e os procedimentos facilitando a prevenção”, explicou.

 

De acordo com diretor do Senai Marechal Rondon, Helder Cavalcante, a contribuição do setor industrial visa a reforçar as ações de prevenção em todo o país. “Nosso objetivo é munir nossos alunos com informações para que eles possam ser multiplicadores dessa campanha de combate ao mosquito em ambientes como o familiar e em outros grupos sociais”, aponta Cavalcante.

 

Prevenção

 

Não há nenhum tratamento atualmente disponível para ajudar a prevenir a propagação do zika vírus. Isto significa que temos de tomar medidas extremas para evitar picadas de mosquito e transmissão da doença desagradável. Assim, devemos ser mais cuidadosos em nossas casas e com a nossa saúde em geral, para afastar os mosquitos problemáticos.

Use repelente de dia e de noite: esta é uma das medidas básicas para evitar picadas de insetos. Borrifar spray em todas as suas roupas com repelente, bem como áreas selecionadas de sua pele que estão expostas e mais vulneráveis ​​às picadas de insetos. Cubra sua pele: recomenda-se também que, se você estiver indo para áreas naturais onde os mosquitos são abundantes, você deve cobrir sua pele com para evitar ser picado.

Use mosquiteiros; manter plantas aromáticas em casa. Alguns dos aromas mais eficazes são alfazema, citronela ou eucalipto. Evitar o acúmulo de lixo: Os mosquitos são atraídos por restos de alimentos por isso é importante não deixar o lixo no entorno. De outra forma, esses insetos vão arruinar a higiene da sua casa ao invadir o seu lixo. Eliminar quaisquer poças ou bolsas de água. Baldes de água, poças ou salas úmidas atrai mosquitos.

Assessoria de Comunicação Social do Sistema Fiero

Facebook Comments