BRASÍLIA- Ele não é o primeiro e nem será o último a se arrepender de ter votado em Jair Bolsonaro para a presidência da República no segundo turno. No primeiro deve ter votado em Meireles, o candidato do partido, o MDB. Confúcio Moura, um dos senadores mais atuantes durante a pandemia, disse que Bolsonaro é um “horror”.

Segundo o senador, em “O salto no escuro (uma história da pandemia COVID-19) Capítulo 08”, Bolsonaro é o grande propagandista da crise do coronavírus no Brasil. Desdenha de máscaras. Desdenha da ciência. Prescreve Cloroquina como remédio santo. Desdenha da gravidade da doença.

Leia na íntegra:

Eu votei no Bolsonaro. Não tem jeito de voltar atrás. Ir lá, na mesma seção eleitoral, e desvotar. Como eu, tem milhares de brasileiros que votaram nele, no segundo turno, por falta de opção. Ele tem a língua solta. Criador de crises a cada semana. Quando abre a boca, tal qual Gregório de Matos – o “Boca do Inferno”, solta labaredas no universo.

De tanto falar, criou o hábito de, no dia seguinte, desconversar o que foi dito. E assim vai levando. Abusando da paciência do povo brasileiro. Ele é o grande propagandista da crise do coronavírus no Brasil. Desdenha de máscaras. Desdenha da ciência. Prescreve cloroquina como remédio santo. Desdenha da gravidade da doença.

E joga responsabilidade da crise econômica para prefeitos, governadores e Supremo Tribunal Federal. O homem é um horror. Nesse requisito, de prevenção da doença e cuidados sanitários, ele incita a verdadeira desordem nacional.

No mais, o Brasil vai seguindo seu destino esperado: – um país que estimula a ignorância, subestima o conhecimento, avacalha com a educação (que deveria ser um componente essencial para o desenvolvimento). A educação é o primeiro fator no numerador do crescimento econômico. E como vamos alcançar isso com quatro ministros da educação e três ministros da saúde em 1 ano e meio de mandato?

Fonte: Blog do Confúcio

Facebook Comments