Samuel Costa, jornalista em Rondônia

O professor e jornalista Samuel Costa, em entrevista ao site Amazoniaquinews, disse que o presidente Jair Bolsonaro tem inveja do educador Paulo Freire, um grande estadista como de fato é considerado até os dias atuais.

“Sua história não pode ser manchada por um energúmeno como Jair Bolsonaro e sua trupe. Freire viabilizou uma educação mais humanizadora, levando esperança e fazendo uma política de inclusão bem diferente do modelo apresentado pelo atual desgoverno”, disse.

O saudoso doutrinador brasileiro é terceiro estudioso mais citado nas universidades por todo mundo e recebeu inúmeros títulos e honrarias.

De acordo com Samuel, Bolsonaro, ao contrário, sempre foi escravo da própria ignorância. Preferiu a politicagem à política durante as quase três décadas em que esteve no Congresso. Recusou-se a compreender sobre a economia política e a influência do mercado. Ignorou qualquer conhecimento histórico do país que não viesse das academias militares ou da elite que sempre cortejou.

“Jair Bolsonaro é um sujeito escroto, arrogante e pedante um verdadeiro “energúmeno” em diversas áreas do conhecimento. É um ignorante confesso em educação, economia e políticas públicas. Bolsonaro acha que todos são iguais a ele. A única coisa que sabe fazer é pregar o caos e a perversidade”, afirma Samuel Costa

Ainda de acordo com Samuel, Bolsonaro critica Paulo Freire porque sempre odiou o conhecimento e qualquer um que faça dele instrumento de libertação. Vindo de uma família simples e oprimido nas baixas patentes militares, sempre sonhou em ser o opressor.

Para o professor, Freire sempre foi um intelectual amoroso, pois sabia que a educação se dá na relação, na troca de conhecimento com o mundo. “E que o amor é o que nos faz caminhar em direção ao outro”.

Segundo ele, Freire sabia que a educação é um exercício de empatia e por amor às pessoas e ao mundo sempre lutou para que a justiça social fosse implantada junto a esse processo de aprender e ensinar.

“Inapropriada a postura do presidente Bolsonaro que tenta a todo custo dizer que Paulo é um ser diabólico. A grande verdade é que Bolsonaro é invejoso e asqueroso, pois é uma pessoa inculta, achavascada, desabrida e desprovida do mínimo de bom senso”,  garante Costa

Na opinião de Samuel, ao se referir a Paulo Freire como energúmeno – palavra que retrata o ser possuído pelo demônio – e idolatrar torturadores como Brilhante Ustra, Bolsonaro busca reescrever a História do Brasil a partir da sua ignorância confessa. “Da mesma maneira como delega a Paulo Guedes a entrega do patrimônio e os rumos da economia do país”.

Fonte: Amazoniaquinews/Fórum

Facebook Comments