cuba1Com a proposta de estreitar laços e ao mesmo avaliar a atuação e acolhimento do governo de Rondônia para com os médicos cubanos, o cônsul de Cuba para os Estados do Amazonas, Rondônia, Roraima, Amapá, Pará e Acre, Alexei Bone Espinosa, foi recebido em audiência pelo vice-governador, Daniel Pereira, no Palácio Presidente Vargas, em Porto Velho.

cuba2Representado o governador Confúcio Moura, Pereira disse que o momento serviu para se debater intercâmbios em diversas áreas, especialmente a educação, saúde, cultura e esporte, nas quais se destaca aquele país. Acompanhado do secretário estadual de Saúde, Williames Pimentel, do coordenador técnico legislativo, Hélder Risler; da representante da Secretaria Estadual de Educação, Márcia Gouveia, e dos representantes da Superintendência de Cultura, Esporte e Lazer, Carmélia Cardoso e Ananias Filho, o vice-governador discutiu vários temas com o cônsul.

Espinosa estava acompanhado da médica cubana, Isel Pantoja, que há 20 anos mora em Rondônia e há mais de oito anos atende na Unidade de Saúde Ernandes Índio, na Capital.

Na pauta estavam, o Programa Mais Médicos, assuntos de interesses bilaterais, educação e cultura, porém, Daniel Pereira decidiu acrescentar o esporte com vistas a combater o alto índice de violência inserindo os jovens em projetos desportivos. Cuba trabalha o despertar das habilidades a partir dos primeiros anos de escola das crianças.

Cubanos em toda Rondônia

Para melhorar o atendimento ao público, o governador Confúcio Moura tem orientado sua equipe a buscar projetos inovadores em outros Estados e países. Segundo relatório sobre políticas educacionais no mundo, divulgado pelo Banco Mundial em 2014, Cuba tem o melhor sistema educativo da América Latina e do Caribe.

Durante o encontro, foi apontado também que dos 300 profissionais que atuam hoje nos 52 municípios pelo Programa Mais Médicos do governo Federal, pelo menos 255 são cubanos. O Estado também também se destaca por ter o menor índice de reclamações dos médicos que prestam atendimento à população. O cônsul confirmou isso, afirmando ter ficado satisfeito com a acolhida e com a qualidade de vida dos médicos.

“Sabemos que Cuba é modelo de educação e saúde e que está mais acessível ao Brasil que outros países, daí a importância desse encontro com o cônsul cubano na região para a discussão de intercâmbios”, disse Daniel Pereira. “Antes eu admirava Cuba apenas pelo fator histórico, mas agora é mais institucional”.

De acordo com Espinosa, Cuba também se destaca na área da educação com professores de nível superior, incluindo doutores em ensino da pré-escola, fase em que começa a compreensão de valores e o despertar das habilidades das crianças. “Temos dificuldade para garantir ensino, mesmo existindo apenas dois alunos em uma localidade”.

O cônsul convidou representantes do governo estadual a participarem do Congresso Internacional de Saúde, no mês de abril, em Cuba. Convite também foi feito para que seja verificada in loco a diversidade cultural cubana, com destaque para a bailarina e coreógrafa, Alicia Alonso,considerada uma das principais artistas do século 20 e que ainda está viva.

O cônsul recebeu um vídeo sobre a inauguração do maior teatro amazônico, o Palácio das Artes (1,1 mil lugares), e do anexo, Teatro Guaporé (257 lugares), que dependem apenas do alvará da prefeitura para dar início à extensa agenda, segundo Ananias Filho. O vice-governador presenteou o cônsul com um exemplar do livro de Júlio Carvalho sobre os 100 anos de Porto Velho e foi presentado com uma carteira e uma garrafa de cachaça considerada a melhor daquele País.

Facebook Comments