nivelApós chegar a quase 19,80, o rio Madeira tem verificado baixas há uma semana. No dia de hoje, domingo, o nível oscilou nos 19,53 metros, deixando a população e as autoridades mais aliviadas. Por conta da cheia, o governo do Estado de Rondônia declarou estado de calamidade pública. Para facilitar o atendimento às vítimas da enchente em Rondônia, o governador Confúcio Moura decretou estado de calamidade pública, com a publicação do Decreto 18.749, no Diário Oficial de quinta-feira. Com isso, todos os órgãos estaduais estão autorizados a colaborar com a Coordenadoria Estadual de Defesa Civil nas ações de resposta ao desastre, reabilitação e na reconstrução do cenário.
Entre outras determinações às autoridades e voluntários, o decreto autoriza, a entrar nas casas para prestar socorro ou determinar a evacuação, sob pena de ser responsabilizados no caso de omissão.

Na justificativa, o governador lembra que as inundações graduais são características das grandes bacias hidrográficas e dos rios de planície, como o Amazonas. “Ocorrendo o transbordamento de água proveniente de rios, igarapés e córregos, desenvolve-se de montante para jusante, invadindo terrenos, destruindo e danificando plantações, o que exige grande esforço para garantir o salvamento de animais, especialmente, bovinos, ovinos e caprinos”. E ressalta o sofrimento da população com as consequências da enchente dos rios, ultrapassando a capacidade de acomodação das águas, “fato que provoca notórios prejuízos de ordem econômica e social aos municípios de Porto Velho, Guajará-Mirim, Nova Mamoré, Costa Marques, Cacoal, Pimenta Bueno e Chupinguaia”, confirmados pela Defesa Civil, por meio de levantamentos dos danos humanos, materiais e ambientais, bem como, prejuízos econômicos públicos e privados”.

Facebook Comments