Alunos têm aula prática na horta da escola

Alunos têm aula prática na horta da escola
Alunos têm aula prática na horta da escola

Os alunos que frequentam o Instituto Estadual de Educação Rural Abaitará têm uma grade curricular diferenciada. Eles cursam as principais disciplinas do Ensino Médio, que dão embasamento para seguir qualquer profissão, conciliando aulas teóricas e práticas, cujas atividades são desenvolvidas no campo. O Instituto Abaitará é o primeiro do Estado e fica localizado no Km 32 da rodovia RO 010, no município de Pimenta Bueno, a 525 km de Porto Velho. A instituição tem a função de qualificar o jovem do campo para que trate a propriedade rural como empresa, resultando em qualidade de vida e combatendo o êxodo rural.

Luiz Henrique da Silva, 16 anos, é filho de produtor rural e começou a estudar no Instituto Abaitará na semana passada. Ele afirma que está acostumado com o trabalho no campo. “A vantagem de estudar aqui é que aprendo na teoria e na prática as técnicas corretas de como desenvolver os trabalhos” destaca o aluno.

Após as aulas teóricas nas confortáveis salas de aula climatizadas, os alunos vestem roupas apropriadas para o trabalho no campo. Na horta, sob a orientação do professor e coordenador de campo -Pedro Pandolfi -, os estudantes aprendem desde o preparo da terra até a colheita das hortaliças. “Aqui os alunos desenvolvem na prática as técnicas corretas desde o início até o fim do processo de produção”, afirma Pandolfi.

Veja fotos do Instituto

Outras atividades desenvolvidas pelos alunos são a piscicultura e a fruticultura. O Instituto Abaitará também adquiriu recentemente 18 vacas girolanda e um touro, por meio de leilão eletrônico. Investimento no valor de R$ 70 mil. Os animais já se reproduziram e garantem o leite utilizado na alimentação dos alunos.

Quadra poliesportiva em construção

A diretora, Eliane Cristina Farias, informou que o Instituto atende 150 alunos e a primeira turma se forma esse ano. “Os nossos alunos são internos, moram aqui na escola, muitos só vão para casa nas férias escolares, pois nosso ensino é de tempo integral”, destaca a educadora.

O governo do Estado está investindo cerca de R$ 4 milhões na infraestrutura  do Instituto de Educação Rural Abaitará. Foram construídas cinco salas de aula climatizadas, tendo carteiras almofadadas e data show. Estão em construções três alojamentos, com capacidade para atender 36 alunos. Cada alojamento terá uma lavanderia.

Assista ao vídeo

Também está em construção a quadra poliesportiva coberta. Em breve, a obra do aviário deve ser entregue, pois o Instituto irá trabalhar com aves para o abate e poedeiras. A intenção é comercializar os animais abatidos e os ovos nos municípios da região.

O projeto de ampliação do Instituto contempla ainda uma pocilga, a obra já está em andamento; um curral para manejo dos bovinos e um aprisco, pois serão implantadas nas aulas teóricas e práticas o manejo com carneiros – animal que se adaptou bem ao clima de Rondônia e tem boa aceitação no mercado consumidor, sendo muito lucrativo para o pequeno produtor rural.

Alojamento tem capacidade para 36 alunos

O governador Confúcio Moura visitou a instituição na sexta-feira passada e falou da importância do Instituto Abaitará, que é o primeiro do Estado na modalidade de ensino direcionado ao filho do produtor rural.

“O fundamental dessa escola é formar empreendedores, pessoas que possam modificar o meio em que vivem, com ideias novas, com conhecimento, fazer um choque de gerações entre o avô, o pai e o filho, onde entra o contra ponto diferenciado que é o conhecimento técnico” destacou o governador.

Confúcio Moura disse que os investimentos realizados no Instituto Abaitará são importantes para oferecer meios aos professores e alunos desenvolverem suas atividades com excelência, e ressaltou a importância de se investir no conhecimento científico. “Precisamos entrar no campo da biblioteca, da tecnologia, dos laboratórios científicos, solo, biologia, enfim uma série de outros laboratórios especializados”, afirma Moura, destacando que além de servirem como laboratórios de estudos para os alunos, eles também possam prestar serviço à comunidade, às prefeituras, aos colonos que querem fazer uma análise de solo para corrigir a terra corretamente.

Instituto atende alunos do Ensino Médio

Fonte
Texto: Eleni Caetano
Fotos: Ésio Mendes
Decom – Governo de Rondônia

Facebook Comments