A Pequena Lauanny Hester de 2 anos e 5 meses foi morta de forma cruel, encontrada com sinais de espancamento sozinha na residência onde morava. Os principais suspeitos do crime são o pai Willian Monteiro da Silva de 25 anos e a madrasta Ingrid Bernardino Andrade de 23 anos que no dia do crime, foram encontrados deitados debaixo de uma árvore na praia do Rio Jamari.

O casal foi preso e deram versões desencontradas, alegando queda no banheiro, queda na mesa e que os ferimentos eram acidentais. A Defesa do casal então solicitou uma reconstituição do crime para apurar o que realmente aconteceu, sendo que a Polícia Civil acatou o pedido e realizará esta reconstituição nesta quarta-feira 02/10. Após o término desta reconstituição, o prazo para o laudo final é de 10 dias.

Conselho Tutelar

Em entrevista, o Conselheiro Tutelar Alexandre relatou que após denúncias, no dia 13/02/2019 a criança foi retirada do convívio com os pais e foi institucionalizada na Casa da Criança. Em maio, após uma decisão judicial, a menina foi entregue para a avó no Distrito de Jaci Paraná. Segundo Alexandre, Jaci Paraná é jurisdição de Porto Velho, por isso, o Conselho Tutelar de Ariquemes não teve conhecimento quando a menina retornou para Ariquemes.

Testemunha

Segundo a testemunha, a mesma já residiu na mesma rua que a criança, sendo que desde os nove meses, a menina era espancada e maltratada. A testemunha também relatou que já denunciou várias vezes ao Conselho Tutelar e que só viu a equipe no local por três vezes. A última informação que a testemunha teve é que a criança estaria com a avó, porém, a mesma teve que fazer uma “lipo” (Cirurgia estética) por isso teria devolvido a criança ao pai.

Fonte: Comando 190

Facebook Comments