Real Ariquemes vence por WO mas regulamento foi ferido




Chico Pinheiro, presidente do Real Ariquemes

Pelo regulamento o Real Ariquemes venceu ontem por WO ( 3 a 0),  por falta de ambulância e desfibrilador por parte do Sparta. Mas feriram o regulamento. O presidente do Real Ariquemes, Chico Pinheiro, que contava com a vitória por WO, lamentou a decisão do árbitro em não acatar o que diz o regulamento.

O pior futebol do Brasil aconteceu em Araguaina, estado de Tocantins na noite desta quarta-feira, 07/02, na partida entre Real Ariquemes x Sparta (TO), válido pela 1ª fase jogo de ida. A partida não aconteceu e sabe por que? Falta de ambulância equipada no estádio.

A 1ª ambulância de propriedade do município quebrou, uma segunda ambulância foi chamada, mas chegou sem equipamentos (só o veiculo e uma maca e o motorista é claro). Nesse ínterim o árbitro aguardou o tempo previsto pelo regulamento, 30 minutos. Foi providenciado o DEA (Desfibrilador Externo Automatizado), que estava descarregado e quando a 3ª ambulância do SAMU chegou o árbitro que havia aguardado mais 30 minutos (do famoso bom senso) havia dado por suspensa a partida.

Resultado: o RGC/CBF diz em seu artigo Art. 19 – Uma partida só poderá ser adiada, interrompida ou suspensa caso ocorra, pelo menos, um dos seguintes motivos:
I – falta de segurança;
II – mau estado do campo, de modo que a partida se torne impraticável ou perigosa;
III – falta de iluminação adequada;
IV – ausência de ambulância no estádio;

Ocorrendo tal fato o artigo Art. 20 – Quando a partida for suspensa por quaisquer dos motivos previstos no art. 19 deste RGC, assim se procederá após julgamento do processo correspondente pelo STJD:
I – se um clube houver dado causa à suspensão e era vencedor da partida, será ele
declarado perdedor pelo escore de três a zero (3 a 0);
II – se um clube houver dado causa à suspensão e era perdedor, o adversário será
declarado vencedor pelo placar de três a zero (3 a 0) ou pelo placar do momento da
suspensão, prevalecendo o correspondente à maior diferença de gols;
III – se a partida estiver empatada, o clube que houver dado causa à suspensão será declarado perdedor, pelo escore de três a zero (3 a 0).

Ferindo o regulamento, o árbitro relatou em súmula a suspensão do jogo que será realizado hoje, quinta-feira, às 15 horas. Jogo da volta marcado para o dia 21/02 no Valerião as 20h30 horas (local).

Segundo o quarto árbitro da partida, Alisson Furtado, atendendo orientação do Departamento Técnico da CBF, a partida foi remarcada para esta quinta-feira, seguindo o Regulamento Geral de Competições da entidade, em seus artigos 19, 20 e 21.

Ele explica que o árbitro da partida Thiago de Alencar Gonzaga (MS) aguardou o tempo regulamentar, apesar de ter chegado uma ambulância 32 minutos de atraso, porém, como o veículo não possuía o equipamento desfibrilador, ele deu por encerrada a partida mesmo sem ter dado o pontapé inicial.

Outro detalhe importante é que a diretoria do Sparta apresentou ao quadro de arbitragem do jogo toda documentação solicitada solicitando dos órgãos competentes da saúde de Araguaína (Estado e Munícipio).

Tendo base em cima destes dados, o árbitro, após ouvir orientação da CBF, remarcou o espetáculo para hoje. “Fico envergonhado de saber que a cidade de Araguaína tem quase 200 mil habitantes e não ter uma ambulância. É vergonhoso para o futebol do Tocantins”, disse indignado o volante Adenísio.

Importante destacar que o WO chegou a ser decidido, mas a CBF voltou atrás após ouvir o posicionamento do time da casa e remarcou a partida.

Mais RO com Futebol  Interior

Facebook Comments