BRASILIA- A paralisação dos caminhoneiros que começou no Rio Grande do Sul e Paraná, tomou proporções nacionais ao atingir São Paulo, Minas Gerais e Goiás. A manifestação pede, principalmente, a revogação do decreto que aumenta o imposto sobre combustíveis e justifica que a classe dos caminhoneiros trabalha de forma insustentável. De acordo com as informações da Rádio Progresso, de Ijuí, o movimento, que começou na madrugada dessa quinat-feira (07), segue durante a noite e não tem data para terminar.

Em Minas Gerais também há paralisação e já há risco de faltar combustível em alguns locais. O Sindicato das Empresas Transportadoras de Combustíveis e Derivados de Petróleo do Estado de Minas Gerais (Sindtanque), garante a adesão foi de 100% no Estado.

“O protesto é sobre a alta carga tributária que incide sobre os combustíveis, como PIS Cofins e ICMS. Isso traz muito prejuízo às empresas de transporte. Hoje o custo do óleo diesel já tem um impacto de 55% no custo do frete”, afirma Irani Gomes, presidente do Sindtanque.

O Sindicato Nacional das Empresas Distribuidoras e Combustíveis e Lubrificantes (Sindicom) diz que já contatou as autoridades competentes para solicitar a liberação do acesso aos terminais das distribuidoras paralisadas.
A Assessoria de imprensa da Petrobras diz que não vai se pronunciar porque a manifestação não é contrária à empresa.

GREVE DOS CAMINHONEIROS INICIADA HOJE PROMETE DESABASTECER O BRASIL EM 24 HORAS

Com informações de agências e Jornal Ibia

Facebook Comments