Principal crítico do regime de Vladmir Putin, Alexei Navalny está em estado grave após beber uma xícara de chá e começar a passar mal, nesta quinta-feira (20), durante um voo que ia de Tomsk, na Sibéria, a Moscou, informou sua porta-voz pelas redes sociais.

Navalny está internado em coma em uma Unidade de Terapia Intensiva (UTI) de um hospital na Sibéria, com fortes suspeitas de que tenha sido envenenado. Segundo sua porta-voz, Navalny, encontra-se em tratamento intensivo, ligado a um ventilador pulmonar artificial.

Para a equipe, Alexei foi vítima de um “envenenamento” por causa de sua atividade política. O político da oposição é um feroz crítico do presidente da Rússia, Vladimir Putin.

“Presumimos que Alexei foi envenenado com algo misturado em seu chá. Foi a única coisa que ele bebeu pela manhã. Os médicos dizem que a toxina foi absorvida mais rapidamente através do líquido quente. Alexei está agora inconsciente”, disse  Kira Yarmysh.

A porta-voz não comentou sobre quem poderia ter envenenado Navalny, porém afirmou que a polícia foi chamada ao hospital.

Possível envenenamento natural

Segundo o site de notícias R7,  um dos médicos apontou não ter certeza de que o crítico de Putin havia sido envenenado. O médico Anatoly Kalinichenko disse que, dentre os vários diagnósticos que estão sendo considerados, existe a possibilidade de ser por “envenenamento natural”, e que os testes continuam sendo realizados.

Tatyana Shakirova, porta-voz do ministério regional da saúde em Omsk, disse: “Confirmamos que Alexei Navalny foi hospitalizado em Omsk e que os médicos avaliam sua condição como grave […] Os médicos estão fazendo todo o possível para estabilizar sua condição.”

Regime deseja recuperação ao opositor

O regime russo disse que os médicos estão fazendo tudo o que podem para ajudar Navalny e desejaram uma recuperação rápida, da mesma forma como desejariam a qualquer cidadão russo.

O porta-voz do governo, Dmitry Peskov, afirmou que é preciso confirmar um envenenamento com testes de laboratório. As autoridades estariam prontas para ponderar um pedido de Navalny para se tratado em outro país, se ele assim demandar.

Fonte: Terça Livre

TEXTO: Alves Alves

Facebook Comments