Exibindo IMG_20160602_161109.jpgExibindo IMG_20160602_161109.jpgExibindo IMG_20160602_161109.jpgnovaitaDurante a Audiência Pública para apresentação da pauta do Grito da Terra na Assembleia Legislativa, na tarde desta quinta-feira (02), o presidente da Central Única dos Trabalhadores Itamar Ferreira, ao usar a Tribuna, denunciou que a Secretaria de Educação (SEDUC) se recusou a fornecer cópia do projeto de “Mediação Tecnológica”, sob a alegação de que o mesmo se encontra em discussão no Conselho Estadual de Educação, para implementar mudanças ao projeto aprovado em 2013 e já em fase de implementação.

Itamar considerou um absurdo a postura da SEDUC, pois o objetivo de ter cópia e conhecer o projeto é justamente para propor mudanças no projeto, nesta fase em que se encontra em discussão no Conselho Estadual de Educação. Prova disso é que a CUT, a Federação dos Trabalhadores n Agricultura (FETAGRO), Via Campesina e UNIR requereram recentemente ao Conselho que a tramitação do projeto fosse suspensa, tendo aquele Colegiado acatado o pedido e suspendido por 45 dias qualquer deliberação.

“Causa estranheza a postura da SEDUC em esconder algo que deveria ser público e amplamente divulgado, pois afetará milhares de alunos de escolas rurais e a sociedade tem todo o direito de fazer um amplo debate e avaliação dessa nova e desconhecida metodologia”, questionou o sindicalista.

Para o presidente da CUT “o governo de Rondônia está colocando uma televisão no lugar da professora”. O tal projeto de “Mediação Tecnológica”, que a SEDUC se recusa a dar conhecimento à sociedade, é semelhante ao ensino a distância (EAD), onde todos professores são substituídos por uma televisão, que recebe por internet ou satélite todas as disciplinas, sendo os alunos orientados apenas por um tutor, sem conhecimento das matérias ensinadas. Há denuncias de que em muitas das escolas já instaladas, nem sinal de internet tem e o conteúdo é repassado através de gravações em pendrive.

Itamar Ferreira solicitou do deputado Lazinho da FETAGRO que requeira através da Assembléia Legislativa e/ou de seu gabinete a cópia do projeto de “Mediação Tecnológica”, que a SEDUC transformou numa verdadeira “caixa preta”. Lazinho da FETAGRO garantiu que fará gestões imediatas para que todas as entidades tenham acesso  íntegra do projeto; bem como, das alterações que estão sendo discutidas no Conselho Estadual de Educação.

No próximo dia 10 de junho haverá uma reunião das entidades em Ji-Paraná e no dia 23/06 está sendo solicitada a realização de uma Audiência Pública na Assembléia Legislativa, ambas sobre a “Mediação Tecnológico”. A Pauta do Grito da Terra é o conjunto de reivindicações da Agricultura Familiar de Rondônia, apresentada pelos Sindicatos dos Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais (STTRs) e pela FETAGRO, para ser negociada com todos os órgãos do Estado.

Facebook Comments