Porto Velho ficou em último lugar no ranking de transparência envolvendo as informações de contratos emergenciais para combater a Covid-19. A classificação das capitais foi divulgada nesta semana pela Transparência Internacional.

Segundo a ONG, o ranking é feito para medir a transparência dos contratos feitos durante a pandemia. O resultado é medido por meio de uma pontuação, que vai de 0 a 100. Quanto mais perto de 100, significa que o município está informando detalhadamente os contratos.

Nesse quesito, Porto Velho caiu dois pontos e manteve o pior desempenho entre as capitais (39,2 de nota). Foi a única capital a receber nota ruim entre todas as avaliadas.

À Rede Amazônica, a prefeitura de Porto Velho informou ter tido dificuldades no lançamento dos dados de contratos ao longo do mês de junho. O município também afirma estar trabalhando para resolver o problema e assim lançar todos os dados.

Segundo Maria Dominguez, pesquisadora da Transparência Internacional no Brasil, no dia da pesquisa o portal da prefeitura de Porto Velho não tinha informações sobre nomes das empresas contratadas, o CPF ou CNJP de quem foi contratado, prazos contratuais e bens adquiridos para atuar no combate da Covid-19, por exemplo.

Abaixo, veja o ranking das capitais:

2º ranking de transparência nos contratos emergenciais das capitais feitos durante a pandemia de Covid-19 elaborado pela Transparência Brasil — Foto: Arte/G1

2º ranking de transparência nos contratos emergenciais das capitais feitos durante a pandemia de Covid-19 elaborado pela Transparência Brasil — Foto: Arte/G1

Fonte: G1

Facebook Comments