O porto de Guajará-Mirim (RO), na fronteira com a cidade boliviana Guayaramerin, foi fechado na manhã de quarta-feira (21) devido a protestos realizados no país vizinho contra a nova candidatura de Evo Morales, que deve concorrer às eleições presidenciais em outubro deste ano.

Segundo o consulado boliviano em Guajará-Mirim, os protestos acontecem desde o ano passado e são organizados pelo Comitê Cívico da Bolívia, que pede que o “Referendum 21 de febrero del 2016” seja cumprido. Nesse referendo foi acordado que o presidente tenha apenas dois mandatos, e o atual presidente da Bolívia está concorrendo ao terceiro mandato.

De acordo com Alexandre Guzman, cônsul da Bolívia em Guajará, Evo Morales está concorrendo às eleições com base em um pacto assinado em Costa Rica, que autoriza que um presidente tenha um terceiro mandato caso a maior parte da população queira. No entanto, 51% da população boliviana deseja o contrário.

Fonte: G1

Facebook Comments