O mês de junho promete começar em clima de tensão entre o Governo Estadual e a Polícia Militar, isso por conta de uma carreata agendada para a tarde desta segunda-feira (31), que irá reunir praças e oficiais em contestação a promessas não cumpridas de valorização da categoria. As informações são do site Rondoniaovivo

De acordo com um manifesto emitido por diversas entidades que representam os policiais militares, há mais de sete anos a categoria não passa por reajuste salarial, o que torna Rondônia um dos entes da Federação com um dos menores salários
pagos à PM.

Os policiais alegam que o atual Governo garantiu durante campanha que iria priorizar as ações de valorização da tropa, melhorando os salários e a estrutura de trabalho, porém, segundo os militares, até o momento nada disso foi realizado.

Também não há direito à insalubridade, fundo de garantia, auxílio transporte, entre outras garantias de um trabalhador civil aos PM’s.

Proibidos de participarem de greves ou manifestar indignação pública, sob pena de prisão e até expulsão da corporação, os militares acreditam que essa carreata irá chamar a atenção do Governo do Estado para o sentimento de insatisfação de seus
policiais.

Greve da PM em Rondônia

No ano de 2011, praças da Polícia Militar de Rondônia promoveram uma greve reivindicando direitos básicos como auxilio para a compra de fardamento, progressão de carreira, entre outras pautas.

Com a paralisação de mais de 1.600 policiais, Rondônia entrou em Garantia da Lei e da Ordem – GLO sendo necessária a intervenção do Exército para manter a segurança nas ruas.

Os policiais conquistaram as reivindicações, porém as lideranças do movimento foram punidas em alguns casos mais extremos, com a expulsão da PM.

Fonte: Rondoniaovivo

Facebook Comments