PIMENTEL FAZ BALANÇO POSITIVO: SAÚDE NO GOVERNO CONFÚCIO TEVE MELHORIAS SUBSTANCIAIS

Secretário-de-saúde-Williams-Pimentel1-570x427“O setor de Saúde registra no governo Confúcio Moura, o maior crescimento de todos os tempos”. A afirmação foi feita pelo secretário estadual de Saúde Williames Pimentel, durante entrevista na noite desta quarta-feira, ao programa Rondônia da Gente, da Rede TV.

Utilizando dados de um estudo realizado e publicado neste ano, pelo Conselho Federal de Medicina (CFM) que apontam Rondônia em segundo lugar em oferta de leitos, através do Sistema Único de Saúde (SUS), com índice de 1,83 – para cada 800 habitantes -, empatado com o Rio Grande do Sul e atrás apenas do estado do Piauí, ele fez um breve balanço da melhoria do setor no Estado.

Durante a entrevista, Pimentel esclareceu que esta performance só é possível devido ao programa de recuperação e humanização do setor implantado pelo atual governo.

De acordo com o secretário, os números comprovam, também, que o planejamento do governo, através da Secretaria Estadual de Saúde (Sesau) vem dando certo e o Estado saiu da condição de “lanterna” em qualidade de Saúde para ocupar posições importantes.

O programa contou a participação de telespectadores que fizeram perguntas ao vivo. Respondendo ao morador Roberto, zona Leste de Porto Velho, Pimentel disse que o salto de qualidade que o setor de Saúde obteve nos últimos três anos é comprovado com a ampliação de oferta de leitos de enfermaria e UTI no Hospital de Base (HB).

Ele falou, também, sobre os investimentos feitos pelo governo em tratamento de alta complexidade, inauguração da policlínica Oswaldo Cruz – com mais de mil atendimentos por dia, R$ 40 milhões no tratamento de câncer com duas cidades pólos – Porto Velho, com a unidade “Barretinho” e Cacoal, com o Hospital Daniel Combone, entre outros resultados expressivos.

O telespectador Carlos Alberto, do município de Ariquemes, perguntou sobre o Centro de Hemodiálise de Ariquemes. Pimentel disse que a obra, entregue em junho deste ano, era uma reivindicação antiga de pacientes renais crônicos, e teve um investimento de R$ 6 milhões, com recursos próprios.

Ainda segundo ele, antes, doentes vinham três vezes por semana para Porto Velho para receber tratamento. Hoje, fazem perto de suas famílias, na sua cidade, em um moderno centro, com capacidade de atendimento de 200 pessoas por semana,.

Fonte
Texto: Zacarias Pena Verde
Fotos: Ítalo Ricardo

Facebook Comments