Durante a audiência pública da Comissão Temporária do Senado Federal (CTCovid19), desta segunda-feira (29), que debateu o andamento dos processos de autorização emergencial e definitiva, bem como a produção de vacinas contra o novo coronavírus no Brasil, pesquisadores afirmaram que os laboratórios brasileiros da indústria veterinária poderão produzir vacinas contra à covid-19.

O presidente do colegiado, senador Confúcio Moura (MDB-RO), lamentou a quantidade de morte que vem ocorrendo no país e questionou aos convidados se o parque de saúde animal disponível no Brasil teria condições, em um período curto, se for interesse do Governo, de entrar no circuito para produzir a vacina em alta escala.

O vice-presidente do Sindicato Nacional da Indústria de Produtos para Saúde Animal (Sindan), Emílio Salani, confirmou que está negociando com o Governo Federal a possibilidade de produção de vacinas inativadas contra a covid-19 nas plantas industriais de imunizantes voltados à saúde animal.

A diretora da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), Meiruze Freitas, explicou que a Anvisa avaliaria as características da produção animal, comparando à produção do insumo farmacêutico de uso humano, e faria a avaliação da fábrica. “A Anvisa poderia, inclusive, disponibilizar imediatamente os seus inspetores para fazer a avaliação da fábrica” disse.

O Secretário de Pesquisa e Formação Científica do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTIC), Marcelo Marcos Morales, afirmou que o governo tem interesse de conversar com o setor da indústria animal, para verificar a possibilidade de produção dessas vacinas nacionais também nas plantas que estão disponíveis. “Seria importante essa interlocução, porque nós poderíamos acelerar a produção das vacinas também, as vacinas nacionais”, pontuou.

Além de internautas, membros titulares e suplentes da CTCovid19, participaram também da audiência pública o secretário de Defesa Agropecuária do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), José Guilherme Leal; e o coordenador de Insumos do Departamento de Imunizações e Doenças Transmissíveis do Ministério da Saúde; Thiago Fernandes da Costa.

Facebook Comments