Pesquisa fraudulenta que beneficiava Marcos Rocha tem divulgação suspensa pela Justiça

0
2506
Pesquisa fraudulenta, apurou a justiça

 

Conforme a decisão judicial, a pesquisa “contém erros graves” e não apresenta dados obrigatórios

Saltava aos olhos a incoerência dos dados da pesquisa que colocava o governador Marcos Rocha (União Brasil) liderando a corrida ao governo de Rondônia. Segundo o Real Time Big Data, Rocha tinha 32% das intenções de voto, contra 18% dados a Marcos Rogério, do PL. Nesta quinta-feira (23/06), a Justiça Eleitoral determinou a imediata suspensão da divulgação da pesquisa, por considerá-la irregular e “nociva ao interesse público”.

O juiz eleitoral Edenir Sebastião Albuquerque da Rosa, do Tribunal Regional Eleitoral de Rondônia, acolheu representação proposta contra o instituto de pesquisa e a Televisão Record S/A, que divulgou os dados. Em sua decisão, o juiz reconheceu que a pesquisa não é confiável, por conter “erros graves, pois não apresenta dados obrigatórios” e determinou a imediata suspensão da divulgação dos resultados, sob pena de multa diária de R$ 1.000,00 (mil reais), podendo chegar a R$ 100.000,00 (cem mil reais).

A pesquisa foi produzida “sem a metodologia científica” exigida pela legislação eleitoral. Não apresentou informações sobre os bairros abrangidos ou o nível econômico das pessoas entrevistas. “A ausência desses elementos produz um resultado potencialmente diverso da realidade, prejudicando a formação de opinião dos eleitores acerca da falsa ideia dos índices de aprovação ou rejeição dos candidatos listados”, diz trecho da decisão.

Veja a pesquisa proibida pela justiça

Marcos Rocha (União Brasil): 32%
Marcos Rogério (PL): 18%
Léo Moraes (Podemos): 10%
Vinicius Miguel (PSB): 7%
Pimenta de Rondônia (PSOL): 1%
Nulo ou branco: 8%
Não sabem ou não responderam: 24%

Veja  AQUI decisão completa