orio“Divulgar mentiras para ludibriar a população é prática deles. Quero ver a oposição querer debater essas pautas, abertamente”, a indagação é do deputado federal Leo de Brito. O parlamentar se refere a uma declaração feita pelo deputado federal Flaviano Melo, que recentemente utilizou veículos de comunicação locais para atacar o governo do Estado e o governo da presidenta Dilma Roussef.

Corrupção

“O nobre colega esquece que foi em seu mandato como governador, que o estado do Acre ficou conhecido nacionalmente pelo maior escândalo de corrupção da história do nosso estado: a conta Flávio Nogueira”, afirmou Leo de Brito.

Ainda sobre corrupção o parlamentar chama atenção para os escândalos recentes envolvendo líderes políticos da oposição, citando o exemplo do município de Brasiléia. “Esta semana a população do Acre acompanhou mais um capitulo da história recorrente de corrupção do PMDB. O atual prefeito de Brasiléia, Everaldo Gomes e mais quatro secretários municipais foram afastados dos cargos por suspeita de desvio de verba pública, lavagem de dinheiro e fraude em documentos públicos. Na mesma operação o ex-prefeito, Aldemir Lopes, secretário geral do diretório regional foi preso”, salientou o deputado.

BR 364

Leo de Brito rebate ainda as criticas que Flaviano Melo fez às obras da BR 364, que ele chama de “ralo de recursos públicos”. “Para um engenheiro, o nobre deputado parece se atrapalhar com simples cálculos matemáticos.Ainda na gestão da presidenta Dilma, o governador Tião Viana articulou um empenho no valor de R$ 230 milhões, no âmbito do Crema, um programa do DNIT, que assegura a manutenção das boas condições das rodovias, e pode ser realizado em duas etapas. Enquanto a obra esteve sob responsabilidade do governo do Estado a estrada não fechou. O governo fez todo o esforço necessário para que ela continuasse em pleno fluxo de veículos, fosse verão ou inverno”, frisou.

O deputado afirma ainda que, como presidente da Comissão de Fiscalização Financeira e Controle, da Câmara Federal, tem colocado em pauta a fiscalização das obras. “É um pedido do próprio governador Tião Viana, e como presidente da CFFC eu tenho cobrado do DNIT uma atuação mais constante na BR. O governo do Estado, com todas as suas dificuldades fez a BR e estava fazendo a manutenção, quando não teve mais condição passou para o DNIT, e infelizmente o DNIT passou um ano sem fazer as obras de recuperação”, alertou.

Ponte para o passado

Contradizendo os verdadeiros fatos, o parlamentar do PMDB afirma que o governo interino de Michel Temer é o responsável pela renegociação das dividas dos estados e o aumento no BolsaFamília, mas Leo de Brito revela o que realmente aconteceu. “É um absurdo o deputado vir à público dizer inverdades. A renegociação das dividas dos estados já tinha sido feita pela presidenta Dilma, antes de ser afastada, faltava apenas aprovar no congresso, bem como o reajuste do Bolsa Família”, revidou.

O governo interino e desastroso de Michel Temer vem tomando uma série de medidas que ameaçam os direitos trabalhistas e que aniquilaram os movimentos sociais em todo o país. Leo de Brito reafirma “o país vive tempos de insegurança e imprevisibilidade. Temos um governo que assumiu a partir de um golpe para frear as investigações da Lava Jato, que tentou salvar Eduardo Cunha a todo custo e que desmontou todo conjunto de políticas sociais implementadas pelos governos de Dilma e Lula. A PEC do teto para comprometer os recursos da saúde, educação, as reformas trabalhistas e da previdência que atinge trabalhadores e aposentados é um bom exemplo disto”, alerta de Brito.

Facebook Comments