O ex-deputado federal e ex-presidente do PP, Pedro Corrêa afirmou que o deputado federal pelo Amazonas, Alfredo Nascimento (PR), recebeu propina em obras realizadas pelo Dnit, segundo reportagem publicada pela revista Veja. Foto: EBC.
O ex-deputado federal e ex-presidente do PP, Pedro Corrêa afirmou que o deputado federal pelo Amazonas, Alfredo Nascimento (PR), recebeu propina em obras realizadas pelo Dnit, segundo reportagem publicada pela revista Veja. Foto: EBC.
O ex-deputado federal e ex-presidente do PP, Pedro Corrêa afirmou que o deputado federal pelo Amazonas, Alfredo Nascimento (PR), recebeu propina em obras realizadas pelo Dnit, segundo reportagem publicada pela revista Veja.
Foto: EBC.

Em delação premiada no âmbito da Operação Lava Jato, o ex-deputado federal e ex-presidente do PP, Pedro Corrêa afirmou que o deputado federal pelo Amazonas, Alfredo Nascimento (PR), recebeu propina em obras realizadas pelo Departamento Nacional de Infraestrutura de Transporte (Dnit), segundo reportagem publicada pela revista Veja em circulação neste fim de semana.

Em nota, Alfredo Nascimento negou as acusações e afirmou ser uma denúncia antiga em que já foi inocentado.

Em julho de 2011, quando ocupava o cargo de  Ministro dos Transportes, Alfredo pediu renúncia do cargo após uma reportagem da revista Veja. A saída de Nascimento ocorreu após reportagem da Veja afirmar que existia um esquema baseado na cobrança de propinas, feita por caciques do PR, a empreiteiras e empresas de consultoria que elaboram os projetos de obras em rodovias e ferrovias por meio do Dnit.

Na época, a presidente Dilma Rousseff  afastou o diretor-geral do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit), Luiz Antônio Pagot, o presidente da Valec Engenharia, José Francisco das Neves, o chefe de gabinete do Ministério, Mauro Barbosa Silva, e o assessor Luís Tito Bonvini.

Outro lado
Procurado pela reportagem, o deputado se manifestou por meio de uma nota em que fala em processar o ex-deputado federal e ex-presidente do PP Pedro Corrêa.

“Não há nada novo nessa delação. É uma denúncia antiga, na época em que fui ministro dos Transportes. Tudo já foi investigado à exaustão pela Polícia Federal e Ministério Público. Nada foi comprovado e fui inocentado. Mas para ganhar vantagens jurídicas, os delatores insistem em requentar essa denúncia. Já provei minha inocência e provarei todas as vezes que forem necessárias. Vou processar o senhor Pedro Corrêa por essa citação injusta e inverídica ao meu nome”, informou o parlamentar, em nota.

Assista Agora

Próximos passos da Lava Jato

Facebook Comments