Parlamento Amazônico discute desenvolvimento econômico dos Estados da Amazônia Legal

Palamento AmazonicoO presidente da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo de Rondônia (Fecomércio-RO), Raniery Coelho, participou na manhã desta quarta-feira 23.03, da VI Reunião Ampliada do Parlamento Amazônico, que discutiu, dentre outros temas, questões como a importância da reconstrução da BR 319, o desenvolvimento regional através da Suframa e a geração de energia e bandeiras tarifárias.

O presidente Raniery Coelho disse que que a VI Reunião Ampliada do Parlamento Amazônico foi de grande importância, não só pela participação de deputados estaduais de estados da Amazônia Legal, mas pela discussão de temas relevantes que são de interesse do comércio da Região como Suframa, preço de energia elétrica, construção da ferrovia da soja, e investimentos, dentre outros.

“A presença de autoridades do Governo Federal, bancada federal e empresários serviu para dar uma noção de como estão sendo discutidos os temas de tamanha relevância par o desenvolvimento regional. Os encaminhamentos retirados desse encontro vão dar um norte para que possamos atuar em nível político e empresarial. O Parlamento Amazônico está de parabéns pelos serviços oferecidos à nossa região”, destacou Raniery.

JOSÉ TADROS

A palestra inaugural do encontro foi do presidente da Fecomércio do Amazonas e vice-presidente da Confederação Nacional do Comércio (CNC), José Roberto Tadros, que falou sobre o tema: “O Desenvolvimento da Amazônica com a Reconstrução da BR-319”. Na opinião do dirigente, a recuperação da BR 319 é vítima de sofismas, citando como exemplo a suposta devastação que a obra causaria na Floresta.

“Esses sofismas são sistematicamente elencados pelo Governo Federal para barrar a recuperação da rodovia. A BR 319 já existia e nunca causou impacto à Floresta Amazônica. Por conta disso, temos um engessamento considerável de vários estados e o isolamento de vários mercados consumidores. Somente a união política e representantes da classe produtiva têm o poder de mudar essa situação”, comentou.

Na palestra, Tadros também ressaltou sobre a questão dos investimentos nos modais rodoviário, hidroviário e ferroviário. Segundo ele, os modais podem conviver distintamente sem qualquer problema, assim como acontece na Europa. Ele também citou a vocação agropecuária rondoniense que produz carne, peixe e hortifrutigranjeiros que hoje abastece a capital amazonense.

“Rondônia será o grande beneficiado com a abertura da BR 319. Além do Amazonas, há também o vizinho Roraima, dois estados que não produzem nada. É um mercado consumidor de quase 5 milhões de pessoas que estão no isolamento e com uma enorme vontade de adquirir alimentos a preços mais em conta. O fechamento da rodovia atrapalha também a atuação efetiva do Exército na proteção de nossas fronteiras”, disse.

Fonte: assessoria

Facebook Comments