O Estado completa hoje 36 anos criação. Em 22 de dezembro de 1981, através da Lei Complementar nº 41, o então Presidente da República João Baptista de Oliveira Figueiredo, transformou o Território Federal de Rondônia em Estado, mantendo Porto Velho como sua capital, tendo a instalação do Estado de Rondônia em 04 de janeiro de 1982, com a posse do Coronel Jorge Teixeira de Oliveira como seu primeiro governador estadual, numa cerimônia em frente ao Palácio do Governo Presidente Vargas.

Apesar da data,  só se comemora oficialmente 4 de janeiro, dia da instalação do Estado de Rondônia.

Desde sua criação do Território Federal do Guaporé 36 governadores estiveram no poder, sendo 26 governadores territoriais e 09 governadores estaduais, sendo os principais deles: Coronel Aluízio Pinheiro Ferreira, o primeiro governador do Território Federal de Rondônia (01 de novembro de 1943 até 07 de fevereiro de 1946); Joaquim de Araújo Lima, o primeiro governador civil do Território Federal do Guaporé (Também é autor da letra do Hino de Rondônia); Coronel Jorge Teixeira de Oliveira, o primeiro governador do Estado de Rondônia (04 de janeiro de 1982 até 10 de maio de 1985) e Jerônimo Garcia de Santana, o primeiro governador eleito do Estado de Rondônia (15 de março de 1987 até 15 de março de 1991). Atualmente, o governador do estado é Confúcio Aires Moura.

Um desses governadores merece referência nessa ocasião, o engenheiro baiano Joaquim de Araújo Lima, que chegou a Porto Velho para dirigir a Estrada de Ferro Madeira-Mamoré no início da década de 1940, posteriormente tornou-se governador territorial, sendo responsável por significativas realizações, como a construção do Palácio Presidente Vargas, do Porto Velho Hotel (atual UNIR Centro), do Fórum Rui Barbosa (atual fórum Criminal de Porto Velho), e Sede Administrativa da Ferrovia Madeira-Mamoré (o Prédio do Relógio).

Rondônia completa 32 anos de existência, com 52 municípios contando com a capital Porto Velho, que por sua vez é o mais importante dos municípios, seguido de Ji-Paraná. Mas destacando-se também Ariquemes, Vilhena, Jaru, Cacoal e Guajará-Mirim.

Ciclos

Historiador aponta a agricultura como importante ciclo do desenvolvimento do Estado

O historiador Francisco Matias é enfático ao lembrar a importância do ciclo da agricultura como um dos mais importantes para o processo de desenvolvimento de Rondônia. Transformado em Estado, dia 22 de dezembro de 1981, e instalado dia 4 de janeiro de 1982, abrigou desde a época da colonização, várias levas de migrantes.

O primeiro, de trabalhadores barbadianos vindos de colônias inglesas para ajudar na construção da lendária Estrada de Ferro Madeira-Mamoré, dos nordestinos em dois ciclos de extração da borracha, exploração de cassiterita, de ouro, madeira e a expansão da nova fronteira agrícola para o Norte do país.

O ciclo da agricultura definiu as bases do processo da reforma agrária para incentivar o modelo da agricultura familiar na região, a partir da demarcação das terras devolutas – de propriedade da União – em pequenas propriedades.

Segundo Matias outros ciclos, como os da madeira e do minério contribuíram para estruturar o Estado, mas nenhum se compara ao da agricultura, por meio da produção de espécies como o cacau, café, milho e arroz, e, mais recentemente, o cultivo de soja em áreas de cerrado da região do Cone Sul.

O jornalista José Carlos Sá chama a atenção para a posição estratégica do Estado, em relação ao “processo” de desenvolvimento do alcance de novos mercados consumidores. Rondônia, segundo Sá, possui várias alternativas para escoamento de matérias-primas e produtos pela BR-364, hidrovia do Madeira, rodovia Interoceânica e agora está prestes a alcançar um novo processo de desenvolvimento, com a geração de energia limpa por meio das usinas hidroelétricas do rio Madeira.

 

Facebook Comments