Minha filha perguntou por que andamos fantasiados pra tudo que é lugar. Eu disse: pra dar cor à vida! Porque somos brasileiros e a única coisa que não se deve retocar no Brasil é a cultura popular.
Siça Andrade, à direita:"Sorrimos mais do que choramos".
Siça Andrade, à direita:”Sorrimos mais do que choramos”.

“Sorrimos mais do que choramos nesse carnaval. Nossa alma indígena, guerreira, nos move, estimula a enfrentar os bichos mais feios que aparecerem pela frente. Conte comigo, com meu amor pela cultura e pela BVQQ”, desabafou de Siça Andrade, presidente da Banda do Vai Quer Quer, nas redes sociais. A BVQQ assim como outras bandas e blocos carnavalescos foram proibidos de desfilar. O advogado e carnavalesco Ernandes Segismundo, famoso pelo bom humor e pela jeito festeiro de ser, protestou saindo nas ruas com uma camiseta preta com a inscrição “Carnaval Proibido”. Contrariando o pedido de não aglomerar, fez um grupo e foi para a Praça das Caixas D’àgua, local marcado para a saída da BVQQ. O carnaval de rua foi proibido pela prefeitura de Porto Velho em consequência da cheia do Madeira que ontem, sábado, atingiu o nível de 18,73 cm, o que é próximo do descontrole, segundo a Defesa Civil. Até aglomerações foram proibidas pela justiça, uma espécie de toque de recolher fora de época. Só que não.

semcarnaval2As ruas foram trocadas por reuniões carnavalescas em residências, bares e boates de Porto Velho. Um local acostumado a uma boa música foi a pedida para os “sem-carnaval”, o Mercado Cultural, onde uma dupla fez a alegria dos foliões cantando marchinhas de carnaval e, claro, as músicas eternizadas pela Banda do Vai Quem Quer.

Ernandes Segismundo e Luciana Oliveira: alegria sempre
Ernandes Segismundo e Luciana Oliveira: alegria sempre

“Sem os desfiles de blocos, Porto Velho revive os antigos carnavais em bailes como esse no Mercado Cultural. Uma delícia! As músicas da BVQQ e as marchinhas tradicionais reforçam minha convicção de que a cultura é um patrimônio indispensável em qualquer cidade. Um pecado não reconhecer isso”, disse a foliã Luciana Oliveira, esposa de Segismundo. Os dois formam a dupla “a tampa e a panela”, segundo amigos do casal. “Não existe carnaval sem estes dois”, disse uma foliã.

semcarnaval6

 

 

 

DOM HELDER CÂMARA

 

Para referendar a alegria do carnaval e extirpar qualquer conotação de pecado, Segismundo até publicou no Facebook uma foto de Dom Helder Câmara, que não via problemas em pular carnaval. “Carnaval é a alegria popular. Direi mesmo, uma das raras alegrias que ainda sobram para a minha gente querida. Peca-se muito no carnaval? Não sei o que pesa mais diante de Deus: se excessos, aqui e ali, cometidos por foliões, ou farisaísmo e falta de caridade por parte de quem se julga melhor e mais santo por não brincar o carnaval. Estive recordando sambas e frevos, do disco do Baile da Saudade: ô jardineira por que estas tão triste? Mas o que foi que aconteceu….Tú és muito mais bonita que a camélia que morreu… Brinque meu povo querido! Minha gente queridíssima. É verdade que quarta-feira a luta recomeça. Mas, ao menos, se pôs um pouco de sonho na realidade dura da vida!” . Dom Helder Câmara teria dito isto no dia 01 de fevereiro de 1975, durante sua crônica radiofônica “Um olhar sobre a cidade” da Rádio Olinda AM.

carnarockHá quem não goste de carnaval e aprecia um bom rock. E não faltou rock no Gregos Original no sábado de carnaval. Enquanto rolavam marchinhas de carnaval no Mercado Cultural, no Gregos rolava um rock pesado. O II CarnaRock teve Mamonas Assassinas Cover e Kenga Cheff. O “carnaval” do Gregos começou na noite de última sexta-feira (28), com a Banda RockUp interpretando The Beatles, mais as apresentações da Par de Sais e SexyTape.

Fonte: maisro.com

Fotos: arquivo pessoal Luciana Oliveira e Marcelo Gladson

Facebook Comments