OPERAÇÃO ZAGREU MANDA PRENDER RODRIGO GUERREIRO, QUE REALIZAVA SHOWS GOSPELS COM EMENDAS DE DEPUTADOS DA BANCADA EVANGÉLICA

Rodrigo Guerreiro e Alex Testoni: comparsas
Rodrigo Guerreiro e Alex Testoni: comparsas
Rodrigo Guerreiro e Alex Testoni: comparsas

O Ministério Público do Estado de Rondônia, por meio do Centro de Atividades Judicais – CAEJ e do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Grupo Organizado – GAECO, com o apoio da Assessoria Militar – Assmil, Polícia Militar e do Tribunal de Contas do Estado de Rondônia – TCE,  mandou prender o promotor de eventos Rodrigo Guerreiro, de Ouro Preto do Oeste, além de Zezinho Maria Fumaça que já está preso.

A investigação constatou a existência de sólida e articulada associação criminosa instalada nos Poderes Executivo e Legislativo, com o propósito de desviar verbas do erário, mediante o direcionamento de emendas parlamentares para entidades do terceiro setor, utilizadas como laranjas, para a realização de supostos eventos festivos públicos. Há indícios da prática de vários crimes, notadamente, falsidade ideológica, peculato, advocacia administrativa, entre outros, contando com a efetiva participação de servidores públicos  e empresários. Em fevereiro deste ano, o Ministério Público do Estado de Rondônia, juntamente com a Polícia Civil e a Polícia Rodoviária Federal, cumpriu mandados de busca e apreensão na sede da empresa Rede Multimídia de Jornalismo e nas residências dos sócios da referida empresa, todas no Município de Ouro Preto do Oeste/RO.

A ordem foi expedida pela Justiça Estadual de Rondônia a pedido do Ministério Público em razão de fortíssimos indícios de direcionamento e fraude nos processos licitatórios referentes às festas de fim de ano, no reveillon oferecido pela prefeitura municipal, notadamente quanto à contratação do show musical da banda “Gabriel Gava”, havendo indícios dos crimes de dispensa indevida de licitação, frustração do caráter competitivo da licitação, falsidade ideológica, formação de quadrilha, entre outros.

Rodrigo Guerreiro recebe verbas oficiais para fazer shows golpes
Rodrigo Guerreiro recebe verbas oficiais para fazer shows golpes

Conforme investigação realizada pelo Ministério Público, a Rede Multimídia de Jornalismo atuou como intermediária na contratação da banda sertaneja. Segundo os elementos de informação, essa empresa seria de fato da titularidade de Rodrigo Mota de Jesus, conhecido como “Rodrigo Guerreiro”, embora esteja em nome de terceiros, parentes ou amigos ligados a ele. Ademais, apurou-se que a sede da empresa estava abandonada, sem movimentação empresarial e a sua fachada não a identifica. (MP/OPO).

Fortes indícios de clientelismo

O citado escritório do “esquema” era mantido nas dependências do Restaurante Ranchão, às margens da BR 364, sendo que o imóvel é de propriedade da família do prefeito do município, Alex Testoni (PSD).

Além deste show investigado pelo MP, a mesma empresa já foi responsável por alguns shows evangélicos no interior e na capital de Rondônia, com concessões vultosas de dinheiro público, do aporte de até 250 mil, por parte de emendas de projetos de alguns deputados estaduais, entre eles, Flávio Lemos, Edvaldo Soares, Jean Oliveira, Jacques Testoni e Saulo Moreira, sempre capitaneadas pelo principal suspeito, Rodrigo Motta de Jesus, que se apresenta como fundador de uma suposta facção evangélica de jovens da igreja Assembleia de Deus de Ouro Preto do Oeste chamada “Nova Geração – Guerreiros de Cristo”, sendo estes em parte os responsáveis por estes eventos que contratam pastores e cantores gospel em grande parte no município de Ouro Preto do Oeste com o total apoio da prefeitura municipal, que disponibiliza a famosa “Praça da Liberdade” para a execução dos eventos.

 

Shows golpes teve participação até de Marcos Feliciano
Shows golpes tiveram até participação de Marcos Feliciano

Entre os artista de renome nacional do mundo gospel que figuram no hall de atrações divulgadas e intermediadas nos últimos anos pela empresa para nos municípios de Ouro Preto do Oeste, Ji-Paraná, Ariquemes, Rolim de Moura, Cacoal, Jaru, Espigão do Oeste, Pimenta Bueno e Porto Velho, em alguns casos ao custo de 20 reais o ingresso, e que segundo o Ministério Público encontra-se abandonada e sem movimentação empresarial, estão Chris Duran, Thales Roberto, Fernandinho, Davi Sacer, Matos Nascimento, David Quilan, André Valadão, Juliano Son e Pastor Cláudio Duarte, sendo estes dois últimos os próximos eventos agendados pela empresa investigada.

Alguns destes artistas evangélicos, que não são nada baratos por se tratarem de verdadeiros astros do universo gospel, também comparecem na agenda de apresentações da festa agropecuária do município, a AgriShow Norte de Ouro Preto, em parte patrocinada pela prefeitura, nos meses de setembro, como é o caso do cantor Fernandinho.

O que está por trás da licitação e o perfil do acusado

Nas redes sociais o acusado faz apologia ao crimeCuriosamente o prefeito do município, Alex Testoni está presente maciçamente em fotos recheadas de extrema intimidade pessoal no Facebook do principal suspeito da fraude investigada pelo Ministério Público, como se deixando fotografar comendo uma marmita no interior de seu gabinete administrativo, revelando um raro momento de solidão do prefeito, que em retribuição prestigia todos os shows promovidos pelo suspeito na igreja Assembleia de Deus de Ouro Preto do Oeste, o que ressalta o estreito relacionamento entre o suspeito e o prefeito.

Em poucos meses de atividade, o jovem passou a desfilar pela cidade e em viagens pelo Estado em uma caminhonete Triton esboçando repentinamente grande ostentação e riqueza em sua página do perfil no Facebook, o que atraiu a atenção de muitas pessoas, com joias e viagens constantes por todo país.

De forma antagônica, o suspeito investigado pelo Ministério Público, Rodrigo Motta (Rodrigo Guerreiro), que se diz tão defensor dos princípios cristãos exibia em seu Facebook, até o encerramento desta matéria, uma imagem de arma em punho, portando uma pistola calibre 9mm, posando de forma ameaçadora para impressionar os amigos e seguidores, numa visível postura de incitação a violência, através do post:

 

Fonte: +RO com informações da Gazeta de Rondônia e MP

Facebook Comments