Operação Rondônia: a paz no campo será mantida e crimes serão punidos, diz secretário

Em entrevista coletiva na manhã de terça-feira (15), no Ministério da Justiça e Segurança Pública, o secretário de Operações Integradas do órgão, Alfredo Carrijo e o governador de Rondônia, Marcos Rocha explanaram as atividades da Força Nacional, no combate a invasões de terras por grupos armados no Estado.

O secretário Carrijo pontuou que nestes dois meses, o governador Marcos Rocha e as áreas de Segurança Pública estadual encaminharam levantamentos dos crimes que têm sido cometidos em propriedades rurais. No período foi solicitado que o Ministério organizasse ações no combate aos atos criminosos que, inclusive resultaram em morte de agentes de segurança pública.

Alfredo Carrijo explicou que o presidente da República, Jair Bolsonaro, e o ministro da Justiça, Anderson Torres, demandaram o planejamento de ações, pois há indícios de crimes ambientais, roubo de gado, extorsão, entre outros. “Deixaremos um recado claro a esses criminosos, a paz no campo será mantida e crimes serão punidos”, acrescentou.

O histórico das reuniões junto aos órgãos federais foi informado à imprensa, pelo governador Marcos Rocha, que agradeceu ao presidente Bolsonaro, o pronto atendimento às demandas. “Nossos produtores têm sofrido bastante com estes homicídios, roubos e crimes das mais variadas tipificações”, disse.

Segundo Marcos Rocha, mesmo com o intenso trabalho das polícias estaduais, achou por bem solicitar a Força Nacional, que hoje estão iniciando as ações.

O secretário José Helio Pachá ressaltou que a primeira reunião como toda a equipe da Segurança Pública ocorreu no dia 28 de abril, onde inclusive foi demonstrado em vídeo a atividade criminosa que vem ocorrendo na área rural rondoniense. “Tivemos neste último final de semana a prisão de vários líderes destes grupos e o apoio inicial dos efetivos federais”, completou.

Pachá agradeceu o apoio do Ministério da Justiça, principalmente porque hoje (15) se inicia a etapa completa de ações contra estes crimes aos produtores rurais.

APOIO

Após a reunião, o governador Marcos Rocha foi recepcionado pelo ministro da Justiça e Segurança Pública, Anderson Torres, que reafirmou o empenho de sua pasta no restabelecimento da paz e o fim dos conflitos em Rondônia. Torres anunciou que as questões que envolvem a regularização fundiária são preocupações do órgão, porém crimes como estão ocorrendo precisam parar imediatamente. “Não vamos tolerar esses crimes que estão acontecendo em Rondônia, em especial contra a vida, a propriedade e o meio ambiente”, finalizou.

Nesta semana ainda o efetivo da Força Nacional, Polícia Rodoviária Federal (PRF), Polícia Federal (PF) e outros agentes que apoiarão os trabalhos, já estarão em Rondônia para iniciar as ações nas localidades que foram invadidas pela denominada Liga Camponesa dos Pobres.

A Força Nacional de Segurança Pública dará apoio à Polícia Militar de Rondônia nas ações de policiamento ostensivo e auxílio à Polícia Civil na força-tarefa de análise de inquéritos relacionados ao crime organizado na região. A Portaria nº 235/2021 foi publicada no Diário Oficial da União e a ação terá duração de até 90 dias.

O secretário-chefe da Casa Militar de Rondônia, coronel Valdemir Carlos de Góes, também esteve presente na reunião com o ministro da Justiça e Segurança Pública.

Fonte: Secom

Facebook Comments