friiiiPara atender suas conveniências da linha de produção o frigorífico JBS Friboi está impondo a troca do feriado do Dia do Trabalhador, neste 1º maio, por uma folga no sábado (02). Para dar uma ar de ‘legalidade’ à essa medida unilateral a administração do Friboi recolheu um abaixo assinado diretamente dos seus empregados, sem qualquer participação do sindicato da categoria, o SINTRA-ALI. Ou seja, todos se viram obrigados a assinar “concordando”, pois do contrário teriam que dizer não para os seus próprios chefes, correndo os riscos de quem desobedece uma ordem seja direta ou implícita.

Ao chegar ao trabalho na manhã desta quinta-feira (30) os funcionários receberem o seguinte comunicado escrito: “JBS Friboi – COMUNICADO – Comunicamos que o feriado do dia 01/05/2015 (Dia do Trabalhador) foi trocado para o dia 02/05/2015, tem em vista que a maioria dos colaboradores concordaram com a troca, mediante a assinatura na lista de troca de feriado. Foi devidamente comunicado ao Sindicato da categoria e o mesmo concordou com a devida troca de feriado. RECURSOS HUMANOS”. O questionamento dos trabalhadores é com o fato do  SINTRA-ALI ter concordado com a troca sem realizar nenhuma consulta à categoria.

Em reunião de aproximadamente duzentos trabalhadores de frigoríficos, realizada na noite desta quarta-feira (29) no Plenário da Câmara de Vereadores  de Rolim de Moura, muitos funcionários do Friboi denunciaram que se sentiram constrangidos a assinaram o tal documento, pois na prática temiam represálias se não concordassem com a troca de feriados. O mais grave é que o SINTRA-ALI em vez de defender esse direito dos trabalhadores e recusar tal medida imposta, “o mesmo concordou com a devida troca”.

A medida abusiva do JBS Friboi, com a omissão e conivência do SINTRA-ALI, é um desrespeito a todos os trabalhadores, não só do frigorífico; pois o Dia Internacional do Trabalho não é somente um dia de “folga”, mas uma data histórica para a classe trabalhadora. É um dia de comemoração, mas também de confraternização e reflexão. Ele foi instituído em memória à morte de três manifestantes ocorrida em maio de 1886 em Chicago nos Estados Unidos, que lutavam pela redução da jornada para 8 horas. Essa data, também, é para lembrar e denunciar os abusos contra os trabalhadores.

A pedido dos funcionários do Friboi, a Central Única dos Trabalhadores (CUT) estará denunciando essa medida abusiva à Superintendência Regional do Trabalho e Emprego (SRTE), ao Ministério Público do Trabalho (MPT) e à Assembleia Legislativa de Rondônia; bem como aos deputados federais e senadores de Rondônia. A CUT está solicitando da SRTE uma fiscalização e multa sobre o JBS Friboi nesta sexta-feira, por prática abusiva e desrespeito contra os funcionários.

Facebook Comments