O Brasil sem o PT, com Bolsonaro e a talibanização

Por Roberto Kuppê (*)

7 de Setembro

O que vai acontecer no 7 de Setembro, em Brasília? Uma breve leitura da coluna deste sábado. Tudo ou nada! Pode acontecer tudo ou nada. Pode ser mais um delírio bolsonarista achar que vão chegar chegando, como fizeram os talibans na semana passada em Cabul. O Afeganistão não é aqui. Não há espaço para ideologias terroristas no Brasil. Nunca teve. A paura de um comunismo não passa de delírio da direita viúva da ditadura militar. Nos 13 anos de governo petista nunca houve uma faísca sequer de comunismo. Muito pelo contrário, acusam os governos petistas de privilegiar os bancos e banqueiros. Não. Os governos petistas privilegiaram a sociedade como um todo. Foram nos governos petistas que grandes grupos como Casas Bahia, Havan, Gol, Magazine Luiza, cresceram a olhos vistos. Isso é comunismo? Nâo! É capitalismo. Foram nos governos petistas que o pobre teve acesso à educação, saúde (Mais Médicos), casas populares. Isso é comunismo? Não! É redução das desigualdades. Como mostrou no passado uma capa de IstoÉ, “nunca fomos tão felizes” no governo do PT. Marchando em direção tragicamente contrária, o governo Bolsonaro mergulhou o Brasil nas trevas e a revista IstoÉ vai eternizar esse momento com a capa desta semana: “ou o Brasil acaba com Bolsonaro ou Bolsonaro acaba com o Brasil”. Esse paradoxo é observado on line ao olho nu. Gasolina beirando os 8 reais, carne subindo diariamente (sem motivo), gás nas alturas, desemprego em alta e quase 600 mil mortes pela covid (por falta de vacinas). Qual a dificuldade de entender isso que está acontecendo com o Brasil neste momento?

Culpa de quem?

O Brasil ia bem, saindo de uma ditadura militar, como uma nova Constituição Federal, mergulhado na democracia. Elegemos um governo indiretamente, Tancredo Neves, que morreu e assumiu Sarney. Depois veio Collor, que foi impitimado e assumiu Itamar Franco. Elegemos FHC duas vezes. Nesse ínterim o PT vinha caminhando, tentando governar o País. Lula tentou quatro vezes até vencer, após firmar uma aliança com o setor produtivo, aceitando um vice da direita (o industrial José Alencar). Por oito anos Lula governou sem problemas com José Alencar de vice. Foram os melhores anos de nossas vidas. Em seguida, Lula elegeu Dilma Rousseff. Como mulher, foi discriminada pela política “conservadora”. Mesmo assim foi reeleita, mas aí acendeu a luz da inveja, do despeito, da anti-democracia. O derrotado Aécio Neves não aceitou a derrota e prometeu inviabilizar o governo Dilma. Conseguiu, com o STF com tudo, tirar Dilma assumindo Michel Temer. Temer abriu as portas para a eleição de Bolsonaro. Resumindo, é isso aí.

Quem tem medo do PT?

Tem medo do PT os políticos incompetentes que não colocam o povo no orçamento. Temem que, assumindo de novo, o PT nunca mais deixará o poder. Capaz mesmo. Porque o PT sabe governar, como ficou comprovado. “Ah, mas o PT roubou”. Roubou nada! Até hoje não surgiram provas disso. Foi tudo armação para tirar o PT do poder. Só assim eles (a direita) conseguiriam voltar ao poder, para massacrar a população, como vem fazendo Bolsonaro. Durante toda a atuação da Lava Jato (que Bolsonaro extinguiu), a única prova que conseguiram foi a inocência de Lula. Tá aí. Todos os processos caindo um a um, inocentado na maioria. Quem foi flagrado com malas e malas de dinheiro está solto. Quem foi gravado falando que ia matar o primo da mala, Aécio Neves, nunca foi investigado pela Lava Jato.

                              Talibanização do Brasil

A direita (milícia virtual bolsonarista) vem dizendo que o Taliban é coisa da esquerda. Por esta montagem, que doutrina está mais parecida com o Taliban? A esquerda é contra armas, a favor da vida. 24 horas por dia o bolsonarismo prega a volta da ditadura com armas. Os religiosos (evangélicos, na maioria), agem como soltados. A Igreja Universal criou os “soldados de Cristo”, grupo que se veste como militares. Vira e mexe bolsonaristas agem como terroristas. O cantor sertanojo, Sérgio Reis, incitou a população a quebrar o STF, ou seja, tocar o terror. Se assim continuar, vamos voltar às trevas e ficar pior do que a Venezuela, do que o Afeganistão.

Amazônia em chamas

Enquanto na política e na economia o Brasil naufraga, a Amazônia arde em chamas. Nunca houve tantas queimadas e desmatamento quanto no governo Bolsonaro. Conforme o próprio ex-ministro Salles, do Meio Ambiente prometeu em reunião (aquela fatídica que afastou Moro da Justiça e Teich da Saúde), passou a boiada e o agronegócio passou a ditar a política ambiental no Brasil. O resultado será catastrófico em escala mundial. Sem água não há agricultura. A Amazônia é o pulmão do mundo.

Genoíno genial

O ex-presidente do PT e ex-deputado federal José Genoíno, encerrou ontem o ciclo de 13 debates promovidos pelo PT de Rondônia. O ciclo que contou com participações de Aloizio Mercadante e Zé Dirceu, é um preparativo do PT rondoniense para as eleições de 2022. Genoíno deu uma sacodida na militância petista, enfatizando que só as ruas poderão mudar esse quadro político que aí está. Além das ruas, o ex-deputado enfatizou que a internet é um campo de batalha também muito importante. Que o diga a milícia bolsonarista que sabe muito bem utilizar essa ferramenta. Bem demais, a ponto de extrapolar, produzindo e espalhando fake news.

 

Roberto Kuppê é jornalista, articulista político e pré-candidato a deputado federal pelo PT de Rondônia

Facebook Comments