RESENHA POLÍTICA – POR: ROBSON OLIVEIRA 

Viralizou nas redes sociais um vídeo com o ex-senador Ivo Cassol (PP), supostamente ao lado de um cidadão acometido com Covid, manipulando uma solda elétrica como cura da doença. No vídeo Cassol garante que a fumaça e a luz produzida pelo atrito da solda curam o vírus.  

 

 

DESPREZO II 

Num momento tão doloroso para as famílias que perderam parentes, o vídeo de uma autoridade que governou Rondônia é, no mínimo, um desprezo à vida. Se for apenas uma brincadeira é algo inominável. Caso seja verdadeiro que ele acredita na cura da Covid através da solda elétrica, pode internar. Ambos os casos, é um desserviço sanitário e um desprezo às vítimas e aos seus familiares.  

 

DESABILITADO 

Cassol gosta de uma polêmica e acha que o perfil do eleitor de dez anos atrás é o mesmo de agora. Não é, ele não percebeu e é possível que tenha ficado recolhido por muito tempo soldando os erros que cometeu e esqueceu de se reinventar politicamente. Embora diga que está habilitado para retornar à atividade política com uma candidatura, a liminar concedida pelo ministro Kassio Marques (STF) ainda não alcança o ex-governador soldador. Lorota quem diz que ele estará apto para disputa.  

 

ANIMOSIDADE 

Ontem (22) o deputado federal Léo Moraes (PODEMOS)  e o governador de Rondônia Marcos Rocha (sem partido) se reencontraram no embarque do voo da Latam com destino a Brasília. Apesar de um ter visto o outro, não houve cumprimento. Embora o clima no voo não tenha sido de beligerância entre ambos, Rocha foi o último a entrar de fininho no avião e não deu uma boa tarde a ninguém. Exceto algumas poucas palavras trocadas com o senador Acir Gurgacz (PDT).  

 

LETARGIA 

Ao que parece as relações entre o senador Acir e o governador Rocha andam amistosas. Instado por este cabeça chata a avaliar o governo do coronel, o senador disse com um certo entusiasmo que no geral está bem em razão da austeridade orçamentária e financeira adotada pelo governador. Entrementes, pontificou: “Não criando problemas para a economia estadual já é de bom tamanho”. Chegamos em um estágio tão letárgico que o mínimo vira máximo.  

 

VACINAÇÃO 

Quem verifica o mapa nacional dos estados que mais vacinaram vai constatar que Rondônia consta no 22° lugar, com o risível percentual de 3,38%. O pior que não há uma sinalização das autoridades estaduais para que estes percentuais melhorem, mesmo tendo um governo dócil e alinhado as politicas do Ministério da Saúde. O alento é o anúncio de alguns prefeitos que prometem adquirir vacinas para imunizar seus munícipes, ainda assim correndo o risco das ameaças do MS de confisco. Já o número de infectados e mortos aumenta assustadoramente. Para piorar a situação sanitária, a Fiocruz descobriu uma mutação do vírus em Rondônia mais contagiante e letal. A única saída é vacinar.  

 

ENERGISA 

Não é possível que os deputados estaduais claudiquem e aprovem qualquer isenção tributária à ENERGISA, visto que há no legislativo um projeto de lei no limbo de iniciativa do executivo esperando o momento mais adequado para isentar a empresa de um débito que beira a bilhão. A denúncia feita pelo deputado federal Léo Moares sobre o assunto é corrosiva e exige do legislativo pulso firme para que o tesouro estadual não seja lesado. Nos bastidores há em curso uma suposta tratativa para que o monstrengo jurídico seja aprovado assim que todos os nossos mortos de Covid sejam enterrados. Fiquemos atentos.  

 

NOTA 

A nota emitida pela assessoria do deputado estadual Jair Montes, em razão da manutenção da condenação criminal de segundo grau por suposta associação ao tráfico de drogas, hesitou em garantir peremptoriamente a inocência do parlamentar. Foi uma nota ignava comparada à última gravação do deputado vociferando que não tinha rabo preso com MP, Judiciário e Tribunal de Contas, enviada à imprensa pela assessoria do gabinete. Não é o único caso em que a assessoria mais atrapalha do que esclarece. A esperança do parlamentar é que não se esgotaram as vias recursais. Mesmo sendo a última a fenecer. 

 

CREDULIDADE 

“Hoje bandidos roubaram vacinas em Natal. Ainda não ouvi falar de bandidos que roubaram os remédios do ‘tratamento’ precoce. Até a bandidagem aposta na ciência”, a frase é de Bruno Barreto e a coluna a reproduz por ser impecável com nossa realidade, em contraponto aos negacionistas.  

 

AUTODEFESA 

O presidente do Superior Tribunal de Justiça, Humberto Martins, é favorável à utilização das mensagens hackeadas contra os procuradores federais que formavam a força-tarefa de Curitiba. Sustenta que, mesmo que tenham sido obtidas de forma ilícita, podem ser usadas com base no dever institucional de autodefesa do Judiciário. O STJ quer investigar um diálogo  entre procuradores com um fiscal da Receita Federal que teria quebrado sigilo de integrantes da corte ao arrepio da lei. O conteúdo corrosivo afastaria a tese de imprestáveis em razão do contexto de autodefesa. 

 

BOQUIRROTOS  

Prefeito de Ji-Paraná, Isaú Fonseca, e de Cacoal, Adailton Fúria, em três meses nos cargos estão se notabilizando mais pelo destempero da incontinência verbal do que pelas ações proativas implementadas. Falam pelos cotovelos. Pouco se aproveita.

(*) Advogado e jornalista

Facebook Comments