Novas estrelas do poker agitam cenário nacional e internacional




Foto por Neil Stoddart©Rational Intellectual Holdings Ltd. Legenda: “Ramón Colillas (camisa florida) surpreendeu a todos na conquista do PSPC”
Foto por PokerNews/Divulgação. Legenda: “Roberly Felício, uma das novas estrelas do poker nacional”

Nos últimos anos, o pôquer deixou de ser um esporte de nicho para conquistar o Brasil e o mundo. A maior popularidade elevou o nível de competição e, nesse período, diversas estrelas nacionais e internacionais surgiram para agitar as mesas de feltro.

Foto por PokerNews/Divulgação. Legenda: “Tiago Magalhães após conquista do primeiro evento do BSOP de 2018”

Rondonienses conquistam destaque nacional

Diversos competidores nacionais, como os já consagrados André Akkari, Felipe Mojave e Affif Prado mantiveram a boa fase, mas dois rondonienses chamaram a atenção nos eventos brasileiros e proporcionaram grandes disputas.

Tiago Magalhães havia sido um dos membros da equipe de Rondônia/Acre que conquistou o Campeonato Brasileiro por Equipes (CBPE) em 2015 e os últimos três anos serviram para que eles melhorasse ainda mais.

O atleta começou 2018 com o título do primeiro Main Event da Brazilian Series of Poker (BSOP), principal série de eventos do pôquer brasileiro e maior circuito do esporte na América Latina.

Na ocasião Magalhães superou mais de 1.046 competidores, com destaque para uma virada impressionante no heads-up final contra Gustavo Vascão, brasiliense em busca do bicampeonato considerado o grande favorito para vencer a competição.

O atleta não chegou a conquistar o primeiro lugar em mais eventos da temporada de 2018, mas manteve um alto nível durante o resto da competição e seu nome já está gravado para sempre no torneio.

Outro competidor de destaque nativo de Rondônia é Caio Hey. O esportista atua há mais de uma década no pôquer e durante esse tempo conquistou diversos títulos e muito prestígio.

Hey começou a ganhar destaque em 2014 quando cravou a primeira colocação no disputado Latin America Poker Tour e desde então nunca mais deixou os holofotes.

Assim como Magalhães, Hey também foi membro da equipe vencedora do CBPE em 2015 e na metade de 2018 o esportista surpreendeu novamente ao vencer o Sunday Million, um torneio na modalidade online que contou com mais de 6 mil atletas.

Duas estrelas em ascensão no cenário internacional

No cenário internacional, diversos competidores também alcançaram posições de destaque nos últimos anos. Muitos poderiam ser mencionados aqui, mas as grandes surpresas de 2018 foram o brasileiro Roberly Felício e o espanhol Ramón Collilas.

Natural de Goiânia, Roberly tem 48 anos e passou boa parte da vida como um empresário de sucesso. Apesar disso, o poker é sua verdadeira paixão e há anos ele dedica quase todo o pouco tempo livre que consegue ao esporte das cartas.

Em 2016 todo seu esforço e dedicação começaram a dar frutos quando ele conquistou a 5ª posição no LAPT Viña del Mar. A vitória o colocou no mapa do pôquer internacional, mas somente em 2018 ele entraria para a história.

Foi nesse ano que ele venceu o acirrado Colossus da World Series of Poker (WSOP) e se tornou apenas o quarto brasileiro a conquistar o tão sonhado bracelete de campeão mundial.

Para se juntar a essa elite que conta com o já mencionado André Akkari e os competidores Alexandre Gomes e Thiago Decano, Roberly teve que ganhar de um field de mais de 13.000 jogadores e um heads-up contra o americano Sang Liu.

Foto por Neil Stoddart©Rational Intellectual Holdings Ltd. Legenda: “Ramón Colillas (camisa florida) surpreendeu a todos na conquista do PSPC”

Outra estrela em ascensão que tem agitado a cena do pôquer internacional é Ramón Colillas. Assim como Roberly, Ramón não tinha o pôquer como principal profissão quando começou sua jornada no esporte.

O atleta costumava ser um personal trainer e gerente de academia, mas decidiu trocar de profissão quando percebeu que tinha talento para vencer nas mesas de feltro. Sua trajetória no esporte foi de rápida ascensão e pouco tempo após a mudança ele já passou a disputar torneios maiores e conseguir boas posições. Uma das melhores e mais importantes foi o 1º lugar na primeira etapa do Campeonato de Espanha (CEP), já que ela ampliou seus horizontes no esporte. Além da notoriedade, a vitória lhe deu o direito a um Platinum Pass, uma espécie de  passe que permitiu que ele competisse no mundialmente famoso PokerStars Players Championship.

Depois de um field com mais de 1.000 atletas, horas de evento e inúmeras mesas, Ramón ganhou o heads-up contra o temido competidor francês Julien Martini e se tornou o grande campeão do evento.

Muitos competidores para acompanhar

Do rondoniense Tiago Magalhães até o espanhol Ramón Colillas, existem inúmeros competidores atuais que vale a pena acompanhar e com a popularidade em alta do pôquer, esse número só tende a aumentar.

Facebook Comments