A sessão solene de posse da nova cúpula diretiva do Tribunal de Justiça de Rondônia para comandar a instituição no biênio 2020/2021 foi realizada sexta-feira, 6, no Tribunal Pleno com a presença de várias autoridades, servidores e familiares dos empossados, consolidando a decisão da corte de agosto de 2019, em que elegeu por unanimidade a nova composição.

A cerimônia foi conduzida pelo presidente do Tribunal de Justiça Walter Waltenberg Silva Júnior que iniciou o seu discurso com um dos contos do mestre popular da Turquia, Nasrudin, para ilustrar o momento em que, habitualmente, falam-se das ações realizadas. De maneira descontraída, o magistrado disse sentir-se “emocionado em passar o bastão para os colegas da época em que éramos assessores de desembargadores do Tribunal de Justiça de Rondônia, há 36 anos”.

Ao agradecer aos magistrados pela confiança que depositaram na sua gestão, Walter Waltenberg disse que há aproximadamente seis meses ele e o presidente empossado, Paulo Kiyochi Mori, vêm conversando sobre as questões relativas à administração.

“Fizemos o possível e temos certeza que os frutos que ora colhemos, o fazemos em razão das sementes que foram lançadas no passado e dos cuidados que os colegas que nos antecederam tiveram em cultivar essa grande árvore de distribuição de Justiça no Estado de Rondônia. Muito obrigado a cada um dos meus pares por terem me dado essa oportunidade ímpar”.

O presidente do TJRO agradeceu ao vice-presidente Renato Mimessi, ao Corregedor-Geral José Jorge, aos juízes auxiliares da presidência, Sérgio William Teixeira, Euma Tourinho e Silvana Freitas; aos secretários, e aos servidores de todas as unidades do Judiciário em todo o Estado de Rondônia. Agradeceu, também, a Ordem dos Advogados do Brasil, “pela compreensão que sempre teve relativamente às dificuldades que enfrentamos juntos e por serem parceiros sempre e principalmente no desenvolvimento do nosso PJe”.

Após os agradecimentos, Walter Waltenberg colocou-se à disposição da nova administração e desejou “o mais absoluto sucesso a todos, a quem conheço há muitos anos e sei que são guerreiros”.

Novos componentes

Cumprindo o rito regimental, o presidente do TJRO convidou os empossandos a prestarem juramentos. Em seguida foram colhidas as assinaturas e, por último, foram declarados empossados nos cargos. Primeiro o vice e diretor da escola, juiz Edenir Albuquerque e desembargador Miguel Monico. Em seguida o corregedor-geral da Justiça, desembargador Valdeci Castellar Citon. E por último a vice-presidente, desembargadora Marialva Daldegan Bueno e o presidente, desembargador Paulo Kiyochi Mori.

Em seu discurso de posse Kiyochi Mori falou de sua trajetória de vida ao chegar ao recém instalado Estado de Rondônia, com 23 anos, e acumulado experiências profissionais na advocacia, além de ter sido assessor de desembargador, magistrado, até alcançar o mais alto posto dentro do Poder Judiciário. “Gratidão ao Estado de Rondônia e a seu povo pela acolhida”.”Para chegar onde chegamos, concluímos que as pessoas precisam de oportunidades para apresentar os seus conhecimentos e colocá-los em prática. Eu tive essa oportunidade: ingressei como assessor e após 36 anos chego ao topo máximo da carreira da magistratura do Estado de Rondônia, no comando do Poder Judiciário. Algo inimaginável. Galgando passo a passo com dedicação e respeito aos mais experientes chego a esse cargo. Tudo a seu tempo”.

Como desafio, o desembargador ressaltou a importância da união de esforços para garantir uma boa gestão. “Necessitamos caminhar de forma integralizada, com acesso às informações e colaboração eficaz da tecnologia da informação para termos uma visão macro de todos os setores. Assim, sem dúvida, o caminho será mais suave”, disse.

A ampliação do acesso à Justiça foi uma das bandeiras defendidas pelo desembargador empossado, interiorizar o atendimento judiciário priorizando a área fim. “É inaceitável que em 39 anos de instalação desta Corte a região denominada Ponta do Abunã pertencente à comarca de Porto Velho tendo vários distritos, com distância de mais de 300 quilômetros da Capital, não tenha um posto de atendimento”, exemplificou.

Onde houver a presença do Poder Judiciário, prosseguiu o novo presidente do TJRO, “que façamos a diferença, sendo um instrumento útil onde quer que estejamos e que tenhamos orgulho de participarmos dessa família. Harmonia, sintonia, integração e planejamento são palavras-chave para a obtenção de resultados positivos, além de que, não podemos esquecer de que sempre podemos melhorar. Não basta apenas ter conhecimento, é preciso usá-lo bem, criando clima apropriado para inovações, estímulos contínuos em busca de uma efetiva implantação”.

Mori também falou da importância do controle interno dentro da instituição, de responsabilidade de todos e enalteceu a recente conquista do TJRO, o Selo Diamante, que reconheceu o judiciário de Rondônia entre os três melhores do país. Paulo Mori afirmou que “90% dos processos tramitam em 1º Grau, logo, não resta dúvidas de que é nesse percentual que temos que focar, evidentemente sem esquecer os 10%. Vamos buscar concretizar 100% do PJe em toda jurisdição, bem como a remessa do máximo de feitos para tramitação perante o CPE. É de suma importância a integração, a ação integral, a todos os setores do Judiciário”.

O novo presidente do Judiciário destinou parte do seu discurso de posse para agradecer aos seus antepassados, “que muito batalharam para pavimentar essa estrada, para que hoje eu caminhasse e chegasse a esse momento”; aos familiares que vieram de outros locais, amigos e ao seu primeiro neto, com apenas quarenta dias de vida.

Para finalizar, Mori citou parte do poema “Coragem”, de Olavo Bilac: “Não tem medo quem caminha com a consciência tranquila, quem o inimigo aniquila com a força da razão. Não abuse da palavra, não afrontes o inimigo, não procures o perigo. Prega o amor, prega a paz”.

Fonte: TJ

Facebook Comments