Central Única dos Trabalhadores (CUT-RO) vem a público manifestar o seu repúdio à postura desrespeitosa e de descaso do governador Marcos Rocha e do secretário de saúde Fernando Máximo em relação a implantação do Plano de Cargos Carreira e Salários (PCCR) dos servidores da Saúde.

A CUT hipoteca o seu apoio irrestrito aos sindicatos Sindsaúde, Simero, Sintraer, Sinfar, e Sinderon que coordenam a luta pelo PCCR, o qual vem sendo protelado há mais de 20 anos por sucessivos governadores. Tudo indica que Marcos Rocha quer entrar na infame lista dos governantes omissos que não implantaram o Plano.

Em janeiro 2020, o governador pediu aos líderes sindicais um prazo de 180 dias para entregar o Plano de Cargos, Carreiras e Remuneração dos Trabalhadores, revisado e pronto para encaminhá-lo à Assembleia Legislativa para aprovação.

Entretanto, o prazo venceu em julho, até o momento Marcos Rocha vem protelando o envio do PCCR para aprovação dos deputados estaduais. No dia 03./11/2020 houve mais uma reunião, que foi marcada pelo próprio Governo, com os líderes sindicais, mas nada de concreto foi apresentado aos servidores.

Nada justifica essa protelação, pois o governador Marcos Rocha contratou uma empresa para revisar o PCCR e ainda assim não foi capaz de concluir os trabalhos de estudo de impacto em folha ou não quis concluir, o que parece uma hipótese bem provável.

Diante do descaso e desta total incapacidade do Governo de Rondônia em cumprir os compromissos acordados com os servidores, a categoria decidiu entrar em greve nesta terça-feira (17). Porém, mais uma vez o Governo recorreu ao judiciário para impedir o justo movimento dos servidores.

A CUT-RO entende que a Justiça de Rondônia não deveria simplesmente decretar a ilegalidade da greve – com isso permitindo que a omissão e o descaso continuem indefinidamente – mas realizar audiência de conciliação visando encontrar uma solução.

Diante do exposto, ao tempo em que parabeniza os servidores da saúde, bem como seus sindicatos pela luta empreendida e faz ressalva quanto à intervenção do judiciário em greve com o fito de simplesmente impedir a luta dos trabalhadores, a CUT-RO conclama as autoridades, principalmente do Legislativo e do Judiciário, para que façam uma medição visando garantir a implantação do PCCR.

Porto Velho-RO, 18 de novembro de 2020.

A Direção

Facebook Comments