BLOGO governador de Rondônia, Confúcio Moura (PMDB), acordou inspirado. Pela crise, claro. Escreveu hoje no blog dele que vai promover mudanças rápidas para sair da crise institucional em que se encontra o governo dele. No texto ele deixa claro que não vai cumprir alguns compromissos de campanha (cargos) e que o momento é outro e requer uma nova estratégia. Veja o texto na íntegra:

Não se pode perder a oportunidade de uma crise. Ninguém deseja pra si crise de nenhuma forma. Mas, se está nela e se apura, aí é que se tem que se mover os neurônios, pra cima e pra baixo, em alta velocidade. Vim de uma eleição dura. O povo rondoniense fez a escolha legítima e me deparo numa encruzilhada. Posso ir para a direita ou para esquerda. Ou ficar parado. Ou voltar. Claro que fiz promessas e compromissos. Mas, a crise chegou. Crise política e crise da dúvida, diante de fatos e atos. Crise é como guerra, tem que se agir. E é  o que farei. Tudo que tiver de ser arrumado vou arrumar. Tudo que tiver acomodado, vou desacomodar. Vou montar um novo governo necessário para sair da crise. O durante a caminhada, quando puder vou chamando pessoas e partidos. A palavra foi dada, esqueça agora. Fiz o convite, esqueça agora. Agora é agora. É outro momento, um novo tempo, uma nova estratégia. É a nova circunstância da encruzilhada ou eterno dilema de ser ou não ser. 

Palavra-CRISE-em-chines-300x192Não se pode perder a oportunidade de uma crise. Ontem, Assembléia rejeitou o projeto conveniente da Emater. É empresa pública. Pedi prazo mais dilatado para colocá-la em ação. Não me foi dado. Para atender a nova necessidade serão mais 60 milhões em 2015. Terei que fazer duros cortes. Enxugar o quadro. A nova Emater enxuta, agora, sem prazo. Quando falo agora, porque é agora, é guerra. É crise. Caro Luiz Gomes, o seu plano que seria pra l ano, faça agora em 7 dias.  Virão as demandas das categorias. Tenho os compromissos de campanha. Os fatos investigativos estão à luz da mídia, bem estampados. Puxarei pra dentro do Governo duas ações imediatas – a SIMPLIFICAÇÃO E TRANSPARÊNCIA absolutas. A Secretaria de Assuntos Estratégicos e Controladoria podem agir rapidamente, para começar logo.

Não se pode perder a oportunidade de uma crise. Não preciso justificar as demissões. Os cortes para sobrar dinheiro para Emater deverão me ser apresentados em 7 dias. Contratos revistos, renegociados, relicitados. Nada de aumento de custeio. Para aumentar ali, corte aqui. Não quero aumento de salário para mim e nem pra vice-governador. Peço ao povo e aos deputados que não cedam às pressões de categorias que para tenham melhores ganhos em cascata pedem aumento do salário do governador a para que sejam beneficiados. Não quero. Não se pode perder a oportunidade de uma crise.   Os partidos aliados que me deem tempo. Estão suspensas as alianças até que o Governo retome a sua normalidade. Preciso de paz. Estou em guerra e nela se mata e se morre. Nem eu mesmo sei o que ainda acontecerá. Tudo que disse pode não ser feito. Quem ditarão os rumos são as incertezas, os novos fatos policiais e um novo dia. Nunca se fez em Rondônia um governo tão transparente, em compras e em atitudes moralizadoras. Mesmo assim, ainda não foram  suficientes.  A dose foi fraca. 

Por acaso, já houve em Rondônia outro governador que tivesse contratado a Fundação Getúlio Vargas para auditar mês a mês a folha de salários dos servidores? E ainda feito um ACORDO DE COOPERAÇÃO escrito e assinado com Tribunal de Contas e Ministério Público? Dado a faca e o queijo para os órgãos de controles dissecarem a verdade dos meus números? Nunca. Eu creio  que nem mesmo outro Estado brasileiro. É apenas, uma prova que estou abrindo a minha barriga para mostrar as minhas tripas. 

Facebook Comments