Fila para comprar gás a R$ 80 reais em Brasília, ontem a tarde- Foto RK

Brasília- Mais de 30 mil caminhoneiros estão sendo esperados a partir de hoje, sábado, até segunda-feira, 4 de junho, em Brasília. O objetivo do novo protesto é garantir que o governo cumpra o acordo firmado e baixe também o preço do gás e da gasolina. Apenas o diesel entrou nas negociações.

Ouça áudio comunicando os novos protestos em Brasília

 

Embora o ministro da Segurança Nacional, Raul Jungmann tenha dito que não há risco de novos protestos, nos arredores do estádio Mané Garrincha caminhoneiros já estão se aglomerando. O líder dos caminhoneiros, Chorão, conclamou a população para apoiar mais este protesto. Os caminhoneiros prometem cercar na segunda-feira o Congresso Nacional.

Em Brasília o abastecimento ainda não foi restabelecido totalmente. Faltam gás e gasolina na maioria dos postos. O risco com estas novas manifestações é agravar a situação.

Veja também o vídeo do advogado André Janones, que se notabilizou por dar informações em tempo eral das manifestações do caminhoneiros:

A previsão é que pelo menos mil motociclistas cheguem ao Distrito Federal, entre sábado (2) e domingo (3), e se juntem a 30 mil caminhoneiros. No início da noite de sexta, porém, apenas seis caminhões estavam no local. A organização explicou que alguns dos trabalhadores aproveitaram o dia para realizar entregas e fretes, mas o grupo permanece no local para demarcar a concentração.

“Caminhões vão chegar neste sábado, vindos de Formosa e Catalão. O comando do movimento está vindo de lá e, a partir da chegada deles, vamos definir o cronograma das ações de segunda-feira. O certo é que será uma manifestação pacífica e queremos apenas melhorias para a nossa categoria. Aguardamos aproximadamente 30 mil caminhoneiros”, afirmou um dos organizadores, o qual preferiu não se identificar.

A Associação dos Motociclistas da Capital Federal e do Entorno formou um grupo com membros de todos os estados, do Centro-Oeste e de outras unidades da Federação, pedindo que eles venham a Brasília para acompanhar a manifestação de segunda-feira (4). Eles levaram um caminhão de som e alimentos para os trabalhadores que estão no local.

“Espalharam que seria uma bagunça, mas estamos aqui para mostrar que não tem nada disso. Será tudo ordeiro. Não há partido político envolvido aqui. Ninguém está pedindo impeachment ou ‘Fora, Temer’. Queremos apenas o direito dos cidadãos. Se ele [o presidente da República] cair, será consequência”, declara a vice-presidente da associação, Néia Godinho.

 

Fonte: Mais RO com Metrópole.com

Facebook Comments